Encontro
Patos de Minas e Região

Acusado de homicídio que fez tatuagem em homenagem a vítima é apresentado pela PC

Por: Clube AM 22/08/2017 22:08

A Polícia Civil apresentou na noite desta quarta-feira (22/08) o acusado de homicídio Dione Dantas Magalhães, de 20 anos. Ele foi preso durante a tarde pela Polícia Militar. Além de ter mentido o nome aos policiais, contra Dione havia um mandado de prisão preventiva pela morte de Wellington Brito de Souza no dia 12 de de agosto de 2016. 

Segundo o delegado de Polícia Civil, Érico Rodovalho, o inquérito sobre a morte de Wellington Brito de Souza, de 22 anos, conhecido como “Bad”, havia sido concluído. O mandado de prisão contra Dione Dantas Magalhães expedido pela justiça em julho deste ano, porém o acusado encontrava-se foragido da justiça.

O crime aconteceu na Rua Vereador João Pacheco, no Bairro Santo Antônio. A vítima estava na rua junto a mais quatro indivíduos. Dione teria se aproveitado que “Bad” estaria na rua, se aproximou e sacou o revolver. Os sete disparos atingiram a vítima, que chegou a ser socorrido com vida por uma viatura da Polícia Militar, mas morreu pouco depois de dar entrada no Hospital Regional Antônio Dias.

Segundo o delegado, o motivo do crime seria uma dívida de droga que “Bad” tinha com traficantes parceiros de Dione. Ainda de acordo com as investigações, após o crime, Dione teria tatuado no braço direito uma cruz e a letra “B”. Dione teria sido reconhecido por quatro testemunhas do local. 

No aplicativo Facebook, Dione teria feito menção com a mão de uma arma atirando na letra “B”, tatuada no braço. O delegado entende que isso seria uma forma de vangloriar a morte de “Bad” nas redes sociais. 

Durante a apresentação a imprensa, Dione negou a autoria do crime, dizendo que estão jogando a “bronca” em cima dele. O acusado ainda disse que a cruz e a letra “B “ tatuada no braço são por conta da morte de sua tia, que tinha o apelido de Branca. Segundo ele, vai provar inocência no julgamento. 

Dione vai responder pelo crime de homicídio qualificado por maneira que dificultou a defesa da vítima. Além disso, ele foi autuado pelo crime de falsidade ideológica por ter omitido o próprio nome aos policiais militares durante a prisão. O suspeito foi levado para o Presídio Sebastião Satiro em Patos de Minas.

Postado originalmente por: Clube AM

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: