Anuncie
Vale do Aço

Autoridades discutem moradia e mobilidade urbana no Vale do Aço

Por: Diário do Aço 30/11/2017 17:32
Alex Ferreira

Um dos pontos discutidos é o déficit habitacional da região e mobilidade urbana

Lideranças de Coronel Fabriciano, Ipatinga, Santana do Paraíso e Timóteo se reúnem nesta sexta-feira (1), para discutir mobilidade urbana e moradia durante a 4ª Conferência da Região Metropolitana do Vale do Aço (RMVA). Com o tema “Consolidando nossa unidade metropolitana”, o evento será iniciado às 8h.

Além dos debates e planejamento de ações para os próximos dois anos, na conferência também será realizada a eleição do representante da sociedade civil organizada para integrar o Conselho Deliberativo da Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana do Vale do Aço. Qualquer pessoa residente da Região Metropolitana há mais de dois anos, com idade mínima de 21 anos e idoneidade moral reconhecida pode se candidatar a conselheiro representante da sociedade civil.

A eleição para o representante será dividida em duas etapas, e a primeira consiste em explicação e apresentação dos candidatos, a partir das 10h30. Já a votação e apuração dos votos estão programadas para as 16h. O conselho também é composto por quatro representantes do Governo de Minas Gerais, e dois representantes do Poder Executivo de cada um dos quatro municípios componentes da RMVA.

As inscrições para o evento são gratuitas e podem ser feitas também no momento de credenciamento, das 8h às 8h30.

Moradia

A chefe de gabinete da agência e coordenadora da 4ª Conferência Metropolitana da RMVA, Rosângela Mendes, destacou que um dos principais gargalos do desenvolvimento do Vale do Aço é a questão de moradia. A região possui um déficit habitacional de aproximadamente 15 mil famílias sem residência.

“Em nossa região, temos 35 aglomerados subnormais, que são áreas de risco, inapropriadas para a moradia e que, não raramente, mora mais de uma família em uma mesma residência. Este assunto tem que ser discutido pelos governos municipais e Agência de Desenvolvimento. É preciso pensar em soluções e ações. O papel da agência é orientar, disponibilizar técnicos aos prefeitos, elaborar projetos em conjuntos. Não podemos ficar sossegados”, pontua Rosângela.

Fernando Lopes

Rosângela Mendes, coordenadora da conferência

Neste mês, foi anunciada a regularização de mais de 50 mil imóveis em Ipatinga. Segundo Rosângela, esta é uma ação necessária e que os governos das quatro cidades da RMVA têm dado mais atenção.

“Isto foi muito discutido pelos governos. Houve um grande avanço em Coronel Fabriciano, Timóteo e Ipatinga, mais recente. A regularização fundiária é muito importante, pois sem a titularidade o proprietário não pode conseguir empréstimos nem fazer nada. Ela vem trazer a dignidade e confiança aos proprietários”, destaca Rosângela.

Mobilidade

Alvo de muitas reclamações da população do Vale do Aço, a mobilidade urbana também será outro ponto debatido no evento. Além de implementações e obras na malha viária, serão avaliados os serviços de transporte público ofertados aos munícipes.

Para a coordenadora da conferência, a atual situação do transporte público não contempla as necessidades da população. “A mobilidade urbana na RMVA é excludente, em especial no que tange o transporte coletivo. São quatro municípios em que não existe esta mobilidade. São apenas três empresas prestadoras deste serviço com tarifas muito altas. Isto exclui a possibilidade de um trabalhador pleitear vagas de emprego em outra cidade, pois o empregado vai levar em conta o valor da tarifa”, afirma.

Rosângela Mendes acrescenta que, com um sistema de transporte coletivo ineficiente, no Vale do Aço há uma sobrecarga de veículos particulares em circulação diária pelas vias. “A nossa frota de veículos cresceu 113%, enquanto a taxa de crescimento populacional é de apenas 15%. Isto significa que existe um grande número de veículos trafegando com uma ou duas pessoas. Estas pessoas não usam o transporte coletivo porque ele não atende. Este é um assunto que deva ser discutido e resolvido, se a gente não levar a sério a mobilidade urbana o avanço da região estará comprometido”, avalia.

A 4ª Conferência Metropolitana da RMVA será realizada das 8h às 17h30 desta sexta-feira (1), no auditório José Vicente Justino (Sr. Zezinho), no Unileste, Campus de Coronel Fabriciano.



Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br