Pedro Cine Fotos
Vale do Aço

Coronel Fabriciano realiza mutirão de combate às Arboviroses

Por: Diário do Aço 13/09/2017 18:32
Arquivo Agência Brasil

Firmando uma parceria com a população, os agentes comunitários de saúde e de endemias visitarão as residências para identificar focos do mosquito

A Secretaria de Governança de Saúde de Coronel Fabriciano e o Comitê Interinstitucional de Combate às Arboviroses, doenças transmitidas pela picada de insetos, como a Dengue, Zika, Chikungunya e Febre Amarela, realizará a partir de sábado (23), mutirões de combate aos focos do mosquito Aedes Aegypti. O objetivo é barrar a proliferação do mosquito antes dos períodos de chuva e calor.

Firmando uma parceria com a população, os agentes comunitários de saúde e de endemias visitarão as residências para identificar focos do mosquito. Essa ação será feita em todos os bairros e terá início nos locais com mais notificações. A Prefeitura conta com o auxílio da população antes, durante e após a vistoria para eliminação total dos criadouros. A Gerente de Vigilância em Saúde, Vania Tavares, destaca a importância da atuação da população. “É importante que os moradores sejam parceiros no combate ao mosquito, uma vez que a maioria dos focos se encontra dentro das suas residências”, afirma.

Em agosto, a Secretaria de Saúde do Estado de Minas Gerais fez um alerta sobre o alto nível de transmissão do mosquito na cidade. De acordo com o Sistema Nacional de Agravos Notificáveis (Sinan), no período entre os meses de maio e agosto, foram notificados cerca de 700 casos de arboviroses, sendo que só a Chikungunya apresentou 310 ocorrências.

Nos próximos meses, o aumento do volume de chuvas na região do Vale do Aço pode agravar os aspectos relacionados às notificações das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, por isso a prevenção será feita neste período em que se encontra estável o número de casos.

Prevenção

Ainda não existe uma vacina que possa combater as doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti, então o único modo e prevenir e eliminar os focos e lugares em que ele possa se proliferar. Os cuidados referem-se a caixas d’água, calhas, garrafas vazias, ralos e vasos com plantas, entre outros.



Postado originalmente por: Diário do Aço

Veja também
%d blogueiros gostam disto: