28 Congresso
Vale do Aço

Homens estão no foco da prevenção do Novembro Azul

Por: Diário do Aço 03/11/2017 21:32
Divulgação

A Fundação São Francisco Xavier e o Hospital Márcio Cunha já iniciaram suas ações de adesão ao Novembro Azul

A Fundação São Francisco Xavier e o Hospital Márcio Cunha já iniciaram suas ações de adesão ao Novembro Azul, campanha criada para alertar sobre as prevenções do câncer de próstata. Segundo tipo mais comum no mundo, atrás apenas do câncer de pele, a doença evolui lentamente e os sintomas são percebidos somente quando já se está em estágio avançado, dificultando o tratamento. Segundo o Ministério da Saúde, as projeções para 2017 é que mais de 60 mil novos casos serão descobertos.

A maneira mais eficaz para a descoberta do câncer de próstata no estágio inicial é por meio da prevenção, ou seja, anualmente ao consultar com o urologista, serão realizados os exames necessários para cada caso, incluindo o toque retal e a dosagem no sangue do marcador PSA. Este rastreamento é recomendado para os homens acima dos 50 anos.

Esta idade reduz para 45 anos quando o indivíduo possui familiares de primeiro grau com diagnóstico de câncer de próstata (pai ou irmão) e para indivíduos da cor negra. Quando o diagnóstico é realizado precocemente, o câncer de próstata pode ser eliminado e o paciente considerado curado em mais de 90% dos casos. Por questões culturais e de preconceito, em média, homens fazem consultas preventivas 30% a menos que as mulheres e 60% deles já chegam ao serviço de atendimento médico com doenças em estágio avançado.

O médico oncologista Luciano do Souza Viana alerta para a importância de se desconstruir esta realidade. “O cuidado com a saúde é um tabu para os homens, logo é importante realizar os exames necessários conforme cada caso, incluindo o toque retal. Um diagnóstico precoce permite maior chance de cura com menor risco de efeitos colaterais e menos sequelas relacionadas ao tratamento. É importante reforçar que o paciente deve procurar uma unidade básica de saúde, onde será avaliado por um médico clínico, que vai fazer o pedido do exame de sangue e o toque retal. Caso seja necessário, o profissional vai encaminhar esse paciente para um especialista, o urologista, para dar prosseguimento à investigação da doença”, descreve o médico.



Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br