Moradores de Naque cobram pagamento de indenização da Fundação Renova

Divulgação

A manifestação ocorreu em frente ao escritório da Fundação Renova e contou com dezenas de manifestantes

Um protesto foi realizado por moradores, na manhã desta terça-feira (11), em frente ao escritório da Fundação Renova em Naque, para cobrar uma resposta dos representantes da organização não governamental privada. Os manifestantes alegam que não receberam o pagamento de indenização depois do rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, que ocorreu em 2015 e impactou toda a comunidade.

A organizadora do protesto, Marilene Santos da Silva, procurou a reportagem do Diário do Aço e informou que muitos moradores do município foram prejudicados por causa do rompimento da barragem e há mais de dois anos que não recebem o pagamento de indenização por causa da água contaminada no rio Doce. “Até hoje não tivemos uma resposta da Fundação Renova. Tem adultos que já receberam, mas as crianças, que também estão incluídas na indenização, não receberam, assim como muitos pescadores”, afirmou.

Marilene acrescentou que a população do município foi informada que as pessoas moradoras até mil metros de distância do Rio Doce – contaminado após o rompimento da barragem de resíduos da mineração da Samarco – serão priorizadas.

“Quem não estiver incluído nessa classificação, terá que aguardar, porque só depois que a fundação indenizar os moradores de até mil metros do rio é que vão analisar os casos restantes. No entanto, tem pescador que não mora próximo ao rio, mas depende dele para sobreviver ou tem morador mais distante que também foi prejudicado. Então isso não é justo”, explicou.

Fundação Renova

Procurada pelo Diário do Aço na tarde dessa terça-feira (11), a Fundação Renova informou, por meio de nota, que 5.166 atingidos em Minas Gerais já recebem Auxílio Financeiro Emergencial (AFE) e 3.822 já foram indenizados no Programa de Indenização Mediada (PIM). Em Minas Gerais, até agosto de 2018, já foram desembolsados R$ 373 milhões entre indenizações e auxílio financeiro no estado. “No momento, o esforço é voltado para acelerar os pagamentos, com segurança jurídica. Os resultados do empenho são perceptíveis. O processo indenizatório ocorre em ritmo mais ágil desde janeiro de 2018″, resume a nota.

Origem

Após o rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, em novembro de 2015, foi criada a Fundação Renova para gerir os programas de reparação, restauração e reconstrução das regiões impactadas pela tragédia ambiental.
A Fundação Renova nasceu com a assinatura do Termo de Transação e Ajustamento de Conduta (TTAC) entre Samarco, com o apoio de suas acionistas, Vale e BHP Billiton, e o Governo Federal, os Estados de Minas Gerais e do Espírito Santo, além de institutos e agências.


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

WP2FB Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: