Pedro Cine Fotos
Juiz de Fora e Região

CPI das gangues realiza palestra para debater criminalidade

Por: Diário Regional 29/06/2017 19:37

Dando continuidade à suas ações, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) de combate às gangues realizou, na manhã dessa quinta-feira, 29, no Plenário da Câmara Municipal, uma palestra com o delegado Rodrigo Rolli, titular da Delegacia Especializada de Homicídios (DEH) da Polícia Civil.

Rolli abordou o processo de formações das gangues e algumas das consequências da atuação desses grupos. “O nosso objetivo é fazer uma análise jurídica aprofundada sobre os homicídios na cidade de Juiz de Fora e a relação deles com as gangues”, destacou. De acordo com Rolli, de 2014 a 2016 foram registrados 1040 crimes contra a vida na cidade, sendo, entre esses casos, 634 tentativas de assassinato e 406 homicídios consumados. Este ano, Juiz de Fora já registrou 49 homicídios.

O delegado apontou, ainda, que a formação das gangues é um problema social que afeta principalmente a juventude juiz-forana, uma vez que cerca de 75% das ocorrências registradas pela DEH envolvem pessoas com até 25 anos. Segundo ele, as demandas da sociedade do consumo e a falta de condições financeiras dos jovens desfavorecidos socioeconomicamente são alguns dos fatores que contribuem para a inserção dos jovens na criminalidade. “Eles se encontram afastados da possibilidade de consumo e acabam buscando mecanismos, outras formas que não são lícitas, e acabam adentrando no meio da criminalidade, como subterfúgio, para conseguir os seus anseios e a busca por auto-afirmação”, explicou.

DIAGNÓSTICO

De acordo com a vereadora Ana Rossignolli (PMDB), presidente da CPI das gangues, o objetivo da Comissão é investigar e diagnosticar as causas da formação de gangues e das rixas entre bairros em Juiz de Fora. “Nós sabemos perfeitamente que os jovens ficam impedidos de ir de um bairro para o outro por causa das rixas, e a violência é de tal forma que acaba fazendo vítimas fatais”, disse Ana, ressaltando que a investigação é necessária para a criação de projetos sociais e políticas públicas voltadas aos jovens. Segundo a vereadora, as ações da CPI têm duração prevista de 90 dias.

Além de Ana, estiveram presentes na palestra a vereadora Sheila Oliveira (PTC), proponente do requerimento que criou a CPI, e os vereadores Charlles Evangelista (PP) e André Mariano (PSC), integrantes da Comissão.

Postado originalmente por: Diario Regional – Juiz de Fora

%d blogueiros gostam disto: