Pedro Cine Fotos
Juiz de Fora e Região

Índice de reprovação em exames de direção chega a 70% em Juiz de Fora

Por: Diário Regional 07/12/2017 6:37

Mais de 21mil candidatos realizaram exame de direção veicular em Juiz de Fora para conseguir a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) nas categorias A e B, entre os meses de janeiro e novembro deste ano. Conforme dados da Polícia Civil (PC) e do Departamento Estadual de Trânsito de Minas Gerais (Detran/MG), desse percentual, apenas 6.384 candidatos foram aprovados, enquanto o índice de reprovação chegou a 70%, ou seja, 14.833 não obtiveram êxito na avaliação após cumprirem as horas de aula nas autoescolas e realizarem as provas teórica e prática.

A jornalista Luciany Oliveira, de 27 anos, tentou a aprovação na categoria B por três vezes, mas, em razão do nervosismo, ela conta que foi reprovada. “Há mais de dois anos venho tentando tirar minha carteira. Já gastei mais de R$3 mil. Em todas as tentativas, realizei muito bem o percurso, mas quando fui fazer o que mais estava preparada, que era a ré, fiquei nervosa e acabei encostando a roda na guia da calçada”, relata ela, afirmando que dirige bem mesmo com a quantidade de reprovações.

Além da remarcação de testes e do aumento dos gastos, o alto índice de reprovação pode culminar no reinício do processo de habilitação, já que a aprovação deve ser alcançada no período máximo de um ano.

De acordo com o delegado adjunto da Delegacia Regional, em Santa Terezinha, região Nordeste, Sergio Lamas, os resultados são condizentes à quantidade de alunos que prestam o exame na cidade. Ele explica que a reprovação pode acontecer por diversos fatores, mas está associada, principalmente, a questões psicológicas. “O nervosismo faz com que o candidato saia com o carro de forma desatenta. Evidentemente que os examinadores avaliam outros quesitos, como habilidade, direção defensiva, mas, certamente, a atenção é uma das principais. Por isso, é importante estar preparado”, afirma.

As provas práticas em Juiz de Fora são realizadas nos bairros Vivendas da Serra, Bandeirantes, Parque Guarani, ambos na zona Nordeste, e Dom Orione, na região Oeste. Primeiro, o candidato faz o exame de direção e, após, a prova da baliza. Para o diretor de ensino do Centro de Formação de Condutores (CFC) Exata, Devanir do Nascimento, com o modelo atual as chances de aprovação são maiores, uma vez que, anteriormente, o exame prático era realizado em apenas uma etapa. “No meu ponto de vista, as condições melhoraram com o exame sendo em duas etapas. Antes, a maioria das balizas era realizada em morros, o que não ocorre mais

hoje em dia. Isso ajudou o candidato, pois ele vai para a prova já sabendo disso, que primeiro ele fará o exame de direção e depois a tão ‘temida’ baliza. Neste intervalo de tempo, ele pode relaxar e conversar com o seu instrutor para acertar os últimos detalhes”, explica.
Nascimento também atribui o índice de reprovação ao insuficiente número de aulas práticas. “O que a gente percebe é um pouco de falta de preparo do candidato. Pela lei, ele tem que realizar 20 aulas de direção para prestar o exame, mas não quer dizer que ao final ele estará completamente preparado para passar na prova e, inclusive, dirigir no trânsito conturbado da cidade. O ideal é que ele seja preparado desde a parte teórica. Ele também tem que ter a consciência de que, em alguns casos, será preciso mais aulas para que ele obtenha a CNH”, reforça.

 

POUCO MAIS DE 30% DOS CANDIDATOS FORAM APROVADOS

De acordo com dados da PC e do Detran/MG, de janeiro a novembro 17.160 pessoas tentaram a CNH de categoria B na cidade e 4.685 foram aprovadas. Já na categoria A, o índice de aprovação representa cerca de 36%. No mesmo período, 4.685 candidatos tentaram e 1.699 foram aprovados.

 

CIDADE CONTA COM QUASE 190 MIL CONDUTORES HABILITADOS

Os números também mostram que 189.906 motoristas juiz-foranos possuem habilitação. Pouco mais de 71% ou 135.003 pessoas estão habilitadas na categoria B, que autoriza a condução de carros de passeio; 27.181 portam CNH AB, que autoriza também a direção de veículos motorizados de duas ou três rodas com ou sem carro lateral, e 11.695 condutores estão autorizados a dirigir veículo de transporte de passageiros com mais de oito lugares, aptidão adquirida por meio da categoria D.

 

COMO MANDAR BEM NO EXAME DE DIREÇÃO

O delegado Sergio Lamas deu algumas dicas para que os candidatos se saiam bem nos exames de direção:

• Pratique a direção e dirija nas rotas da prova para treinar;

• Preste atenção no instrutor durante as aulas;

• Se familiarize com os sinais e obedeça todas as placas de sinalização;

• Na hora do exame, respire fundo e se concentre;

• Ao entrar no carro com o examinador, relaxe e seja amigável;

• Sinalize na hora das conversões e paradas com o uso da seta e sinal de braço;

• Não mantenha o pé na embreagem o tempo todo;

• Olhe para fora na hora de fazer a baliza.

Postado originalmente por: Diario Regional – Juiz de Fora

%d blogueiros gostam disto: