Pedro Cine Fotos
Juiz de Fora e Região

Quase 140 mil juiz-foranos estão inadimplentes

Por: Diário Regional 30/06/2017 6:37

Cerca de 25% dos juiz-foranos estão com “nome sujo”. O levantamento divulgado nessa quinta-feira, 29, pela Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL/JF), apontou que, aproximadamente, 140 mil pessoas da cidade estão com nome negativado no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) ou Serasa. Esses endividamentos, na sua maioria, estão relacionados à falta de planejamento financeiro.

“As pessoas adquirem contas e acabam não pagando e, consequentemente, sujam o nome. Tudo isso, está vinculado à falta organização. Muita das vezes, elas contraem dívidas no cartão de crédito e não pensam que agora, com as mudanças na forma de pagamento, a fatura será emitida com todo o valor e eles não terão a chance de pagar só o mínimo. Antes, ainda tinha essa opção, entretanto, as pessoas se endividavam da mesma forma, pois pagavam o mínimo da fatura durante três meses e depois não pagavam mais”, explicou o presidente do CDL, Marcos Casarin.

Conforme uma pesquisa realizada recentemente pelo SPC, mais de 60 milhões de brasileiros estão endividados. Pessoas na faixa etária dos 30 anos lideram o índice de inadimplência. Segundo Casarin os números são preocupantes, tanto a nível local, quanto a nível nacional, e acarretam várias implicações para os consumidores. “A pessoa que fica com o nome restrito, não consegue crédito para fazer nada. Ela fica impedida de ativar uma conta de energia elétrica, de um cartão de crédito, de abrir uma conta bancária, o lado financeiro fica todo prejudicado”, destacou.

O presidente do CDL lembrou, ainda, que o endividamento excessivo, geralmente, só é reconhecido pelos devedores após o início das cobranças ou quando não existe mais capital para cumprir os compromissos assumidos. Ele orienta que, antes de comprar, a pessoa deve se programar financeiramente. Se não conseguir efetuar o pagamento, o consumidor deve procurar o estabelecimento onde foi realizada a compra para negociar a dívida. “Caso não saiba o valor da dívida ou onde está devendo, essa pessoa pode procurar a CDL, que informamos todo o débito. Em alguns casos, inclusive, promovemos ações com ofertas de descontos, sempre no intuito de inserir essa pessoa de volta no mercado de compras”, finalizou.

Postado originalmente por: Diario Regional – Juiz de Fora

%d blogueiros gostam disto: