28 Congresso
São João del Rei e Região

Aécio defende Cemig em reunião com ministro

Por: Gazeta de São João del Rei 26/08/2017 0:03

O senador Aécio Neves (PSDB) esteve na segunda-feira, 21, no Ministério do Planejamento. Na ocasião, defendeu junto ao ministro Dyogo Oliveira alternativas ao leilão das usinas de Jaguará, São Simão e Miranda. Aécio apresentou a proposta de um financiamento do BNDES a ser pago pela Cemig para aquisição das usinas, representando cerca de 50% do parque gerador da empresa de energia. Para que isso ocorra, o Governo Federal precisará emitir uma Medida Provisória autorizando o financiamento.

Aécio Neves se reuniu na segunda-feira, 21, com o ministro Dyogo Oliveira, defendendo um financiamento para a Cemig - Foto: George Gianni / PSDB / Divulgação

Aécio Neves se reuniu na segunda-feira, 21, com o ministro Dyogo Oliveira, defendendo um financiamento para a Cemig – Foto: George Gianni / PSDB / Divulgação

“O ministro solicitou que a Cemig apresente o quanto antes uma proposta formal, oficial, o que ainda não ocorreu, para análise dos técnicos do governo. Solicitei ao ministro que recebesse o presidente da Cemig, Bernardo Alvarenga, com quem estive também, para detalhar essa proposta”, afirmou Aécio.

O senador reforçou ao ministro do Planejamento a importância para a Cemig das usinas e também da empresa para os mineiros, já que é impulsionadora do desenvolvimento do Estado.
Na sexta-feira, 18, o senador Aécio Neves se reuniu com o presidente da República, Michel Temer (PMDB), para conversar sobre o impasse provocado pela MP 579, editada pela ex-presidente Dilma, em 2012, impedindo a Cemig de renovar o contrato de concessão das hidrelétricas.

A MP renovava antecipadamente as concessões de empresas geradoras e transmissoras de energia que venceriam em 2015, desde que elas aceitassem ter preços definidos pelo Governo Federal. A intervenção foi desastrosa para o setor de Energia e, no dia seguinte ao anúncio, as ações das empresas negociadas na bolsa caíram mais de 20%.

A Medida Provisória foi anunciada por Dilma com a promessa de uma política para reduzir em 20% o valor da conta de luz. Mas, em 2015, sem dinheiro para cobrir os subsídios dados às tarifas de energia, o próprio governo petista aumentou as tarifas em 50%.

Bancada mineira
Aécio Neves também participou na quarta-feira, 16, em Brasília, de encontro entre os parlamentares da bancada mineira no Congresso e a diretoria da Cemig. O objetivo foi discutir uma saída financeira que permita à empresa continuar operando as hidrelétricas em questão.

Aécio e toda a bancada federal de Minas assinaram um manifesto em favor da Cemig. O documento foi apresentado no dia 18 em ato público na Usina de São Simão, no Triângulo Mineiro.
A reunião foi realizada na 1ª vice-presidência da Câmara dos Deputados e contou com a presença do diretor-presidente da Cemig, Bernardo Alvarenga, e de deputados e senadores de diferentes partidos.

Postado originalmente por: Gazeta de São João del Rei

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: