Anuncie
Divinópolis e Região

Paciente dá entrada na UPA para amputar o dedo, perde a perna e pode sair morto

Por: Portal MPA 22/08/2017 10:00





 

Um homem de 60 anos, diabético, deu entrada na UPA de Divinópolis com uma ferida no dedo que por determinação médica deveria ser amputado.  35 dias depois, sem conseguir vaga para internar e fazer a cirurgia, a ferida se espalhou e a perna completamente necrosada deverá ser amputada. Ainda assim a vaga não foi liberada e se  a infecção continuar se espalhando, ele corre o risco de morrer.

O vigia Ronan Cardoso havia iniciado o tratamento para uma ferida no dedo do pé, no Posto de Saúde do bairro Serra Verde e logo após foi encaminhado para a UPA para que o dedo fosse amputado. Recebendo apenas cuidados paliativos até que surja uma vaga na rede hospitalar da região, a ferida foi se espalhando e agora toda a perna está comprometida. O órgão está em estado de putrefação,  e ja exala odor cadavérico. A situação da perna pode ser vista pelas fotos que ilustram esta matéria e a infecção já coloca em risco a sua vida.

O Hospital São João de Deus não pode receber o paciente porque não conta com médico vascular o que faz com que ,ele tenha de ser operado em outro hospital, provavelmente na capital.  Com muita dor, o vigia está vivendo medicando com morfina e a família vem tentando a internação por via judicial mas ainda não conseguiu.

A Prefeitura de Divinópolis informou que tudo depende do Governo do Estado que deve conseguir a internação e a cirurgia através da Secretaria de Estado da Saúde que não sabe precisar uma data para que o problema seja resolvido.

É válido ressaltar que há 30 dias um outro homem, Geraldo Nascimento, conhecido como o taxista Zé Grandão, passou pelo mesmo problema em Divinópolis. No caso dele porém o desfecho foi trágico,  ao invés de perder o dedo, perdeu a vida.  Sobre o caso atual, a reportagem ouviu o Diretor de Comunicação da Prefeitura, Evandro Araújo


A região enfrenta hoje sobrecarga na rede hospitalar. O Hospital São João de Deus está trabalhando com 112% de sua capacidade de internação, com todos os leitos destinados ao SUS.  Com a entrada do SAMU, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência a demanda por internações aumentou e a solução seria o término das obras do Hospital Regional.

Postado originalmente por: Portal MPA

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: