Minas já registra quase 50 casos de febre maculosa; Casos de morte pela doença já foram confirmados

Já são 47 as notificações de casos de febre maculosa em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Desses registro, cinco casos da doença já foram confirmados, segundo boletim da Secretaria Municipal de Saúde divulgado nesta quarta-feira. Destas vítimas, quatro morreram em decorrência da doença. Os outros 42 registros ainda são de casos suspeitos.

O último caso confirmado é de um homem de 41 anos que percebeu os sintomas da febre maculosa em 27 de maio. Conforme a Secretaria, ele é morador da Rua Primeiro de Maio, no Bairro Nacional, onde surgiram os focos na cidade. Entretanto, lá fica um terreno de 120 mil metros quadrados onde há vegetação. O terreno é dividido em 10 lotes e, em cada um deles, há pelo menos três casas.

A estimativa da Prefeitura de Contagem é de que pelo menos 128 pessoas tenham tido contato com a mata. No local, passam dois córregos – o Água Funda e o Gangorra – afluentes do Sarandi, que deságua na Lagoa da Pampulha. Às margens dos cursos d’água é comum a presença de capivaras. Sendo que a espécie também é hospedeiras do carrapato-estrela, parasita vetor da doença.

Desde então, a prefeitura vem realizando uma série de ações para tentar conter o avanço da doença na região. O terreno recebeu cal, produto que aumenta a acidez do solo e mata os carrapatos. Também foi aplicado carrapaticida em residências e cavalos de carroceiros que passam pela região. Para assim, evitar que eles fossem picados e levassem o parasita a outros locais da cidade.

Equipes de educação ambiental têm percorrido as escolas de Contagem para conscientizar os estudantes sobre os riscos do contato com os carrapatos. Técnicas do Ministério da Saúde também realizam um levantamento da doença no município. A ação é realizada em conjunto com as secretarias de Saúde do município e do estado.

Temendo episódios violentos contra pessoas e animais, a prefeitura alerta a população sobre as formas de contágio. “(…) não hostilizem os carroceiros e nem maltratem os animais. Os cavalos são importantes para que não haja infestação de carrapatos. O banho de carrapaticida elimina os parasitas”, pede o Executivo Municipal.

O carrapato-estrela adquire a bactéria, causadora da febre maculosa, apenas de capivaras. Cavalos, cães, gatos e aves são hospedeiros do parasita e não amplificadores da doença”, pontua.

Até ontem, a Secretaria de Estado de Saúde contabilizava nove casos da doença em Minas Gerais, sendo seis mortes. Além das quatro de Contagem, houve uma em Faria Lemos e outra em Raul Soares, na Zona da Mata.

 

 

Postado originalmente por: Portal Onda Sul – Carmo do Rio Claro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2FB Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: