28 Congresso
Caratinga e Região

Dr. Wellington justifica licitações de mais de 1,5 milhão para compra de marmitex e lanche para a PMC

Por: Rádio Cidade - Caratinga 25/08/2017 10:07

Depois de grande repercussão a partir de matéria publicada pelo jornal Diário de Caratinga, nessa quarta-feira (23), sobre a licitação de marmitex para a Prefeitura de Caratinga, nova publicação feita pelo mesmo jornal, nesta quinta, traz informações sobre outra concorrência aberta pela administração municipal. De acordo com o que foi apurado pelo jornal, o valor total estimado para compra de lanches diversos e bebidas para atender as secretarias municipais e o gabinete é de quase R$ 1 milhão para doze meses.

Na planilha publicada pelo Diário de Caratinga são 29 itens, incluindo achocolatado em pó integral; biscoitos casadinho, de polvilho e sequilhos; broinha de canjica doce; leite de caixa (integral); geleia de morango; mussarela e presunto fatiados; pão de queijo; requeijão cremoso; salgadinhos assados e fritos; tabuleiros de broa cremosa, seis variedades de bolo, entre outros. A licitação para contratação de lanche tem valor final de R$ 969 mil. Já a licitação para compra de marmitex, divulgada ontem, tem valor total de R$ 715 mil.

O motivo de um gasto estimado de mais de R$ 1,5 milhão para essas duas licitações chama atenção, principalmente, diante de tantas outras necessidades do município, como a saúde, por exemplo.

O prefeito de Caratinga, Wellington Moreira, participou da abertura da II Fenasc, a feira de agronegócios do Sicoob Credcooper, na manhã de hoje(24), e aceitou falar com nossa reportagem sobre as licitações.


Por consequência, o prefeito Wellington Moreira também precisou comentar as dificuldades encontradas na área da saúde, confrontadas com as notícias das licitações de alimentação para a prefeitura. Durante esta conversa ele fez colocações que até hoje não havia feito publicamente. Antes de tudo, disse que não há crise na saúde pública de Caratinga. Depois fez duras críticas à administração do Hospital Nossa Senhora Auxiliadora, dizendo claramente que a intervenção não está funcionando. O prefeito revelou, ainda, que o município até tem interesse em assumir o hospital com outro CNPJ.

Quanto ao encerramento do convênio com o Casu-Unec para atendimento ambulatorial, exames, urgência e emergência. O prefeito de Caratinga explicou que não concordou com a proposta de “pacote fechado”; afirmou que o Casu não prestou contas devidamente dos serviços que extrapolaram o valor do contrato, gerados pela permanência de pacientes por mais de 24h na unidade;

O prefeito Wellington Moreira continuou falando sobre o rompimento com o Casu, dizendo acreditar foi uma forma de retaliação, porque a prefeitura havia cancelado contrato de especialidades no valor de R$ 150 mil mensais, recentemente, e falou, ainda, que está tomando providências na justiça por causa da faixa fixada na entrada do Casu dizendo que a população não será mais atendida naquele local, a partir de setembro, por falta de pagamento da prefeitura.

Finalizando, o prefeito garantiu que a UPA estará funcionando dia 15 de setembro e com verba para manutenção.

A assessoria do Casu e do Hospital Nossa Senhora Auxiliadora já foram contatados por nossa reportagem sobre os últimos acontecimentos e as colocações do prefeito Wellington Moreira. Nossos microfones estão à disposição para que as partes se manifestem, caso achem necessário.

Postado originalmente por: Rádio Cidade – Caratinga / MG

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: