Advogada monta esquema para tirar o marido da Nelson Hungria em Contagem

Veículo usado para a tentativa de fuga
Veículo usado para a tentativa de fuga

Nessa terça-feira (18), uma advogada de 31 anos foi presa, suspeita de ser responsável por realizar um plano para tentar tirar o marido da Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na região Metropolitana de Belo Horizonte.

Além disso, para que o plano funcionasse, um carro foi plotado com adesivos que remetiam ao sistema prisional do Estado.

Segundo as informações do boletim de ocorrência da Polícia Militar, o caso foi descoberto pelo setor de inteligência da corporação. Os policiais foram até um prédio localizado na Rua Damas Ribeiro, no bairro Eldorado, onde a suspeita reside.

Nos fundos do estacionamento do local foram localizados dois carros, sendo um de modelo Peugeot, com queixa de roubo no dia 5 de dezembro no bairro Jardim Industrial e um Renault, idêntico aos veículos do sistema prisional. O veículo ainda tinha Grupo de Escolta Tática Prisional escrito e também tinha queixa de roubo no mesmo dia, no bairro Gutierrez.

Dentro do carro foram encontrados uma chave do apartamento da suspeita, um revólver calibre 38 com a numeração raspada, coletes com emblemas do sistema prisional, outros equipamentos geralmente usados por agentes penitenciários e vários miguelitos, ou seja, ferros retorcidos usados para furar pneus.

A mulher foi encaminhada para à Delegacia de Plantão de Contagem.

Saiba mais

A advogada é esposa de um homem conhecido pelo apelido de Chacal que tem uma ficha criminal extensa.

No ano de 2015, integrantes de uma quadrilha foram presos em três cidades da região metropolitana de BH, sendo Contagem, Nova Lima e Ribeirão das Neves, suspeitos de participação no latrocínio, ou seja, roubo seguido de morte de um policial militar.

Além disso, os suspeitos teriam ligação com a quadrilha de Chacal, responsável pelo trafico de drogas na capital e cidades ao redor. Em 2015 Chacal já estava preso e as penas passavam de 60 anos de reclusão.

No entanto, entre os presos estava uma mulher de 29 anos, que não era a advogada, porém ela foi apontada, na situação, como companheira e braço direito do traficante.

Por: Gabrielle Junqueira
(com revisão de Victor Veloso) 

Anexos para downloads:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: