Chega ao fim a greve dos servidores de Timóteo

Divulgação

Os servidores municipais realizaram uma assembleia na Câmara de Vereadores na manhã desta quinta-feira (30)

Após 11 dias de greve, os servidores municipais de Timóteo voltarão ao trabalho nesta sexta-feira (31). Essa decisão foi divulgada depois da realização de uma assembleia, no plenário da Câmara de Vereadores, realizada na manhã desta quinta-feira (30).

De acordo com o diretor do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Timóteo (Sinsep), Israel Arcanjo, os servidores aprovaram na assembleia uma nova proposta da Administração de Timóteo e concordaram em suspender a greve. “O prefeito de Timóteo concedeu 3% de reajuste mais retroativo a maio e R$ 100 em vale alimentação. Assim sendo, o valor do vale alimentação agora corresponde a R$ 300. E dentro de 90 dias, voltamos a negociar o restante das perdas”, afirmou.

O sindicalista também afirmou que essa proposta oferecida pela Administração Municipal não é a mais ideal para a categoria, mas espera que as negociações se desenvolvam no decorrer dos próximos dias. “Não é a melhor proposta, mas se após 90 dias não tivermos avanços em relação à recomposição das perdas salariais, poderemos retornar com a greve”, destacou.

Entenda
O Sinsep anunciou, no dia 16, após assembleia dos servidores, o movimento grevista deflagrado dia 20. O motivo, segundo o sindicato, é a proposta de reajuste salarial aquém do que reivindicam os servidores e que já havia sido negociado com o governo municipal. A categoria reivindica 12% de recomposição salarial, enquanto a administração oferece apenas 3%.

Os servidores também realizaram uma concentração em frente à prefeitura ao longo do dia, onde protestavam dia após dia contra a atitude da administração, que decidiu suspender o reajuste salarial oferecido pelo ex-prefeito interino, Adriano Alvarenga (PMB), que recompensava as perdas.

Procurada pelo Diário do Aço, a Administração Municipal de Timóteo respondeu, por meio de nota, que desde o início da gestão do prefeito Douglas Willkys houve o esclarecimento da realidade financeira do município e que impossibilita o reajuste prometido pelo prefeito interino. “A Lei de Responsabilidade Fiscal permite que a prefeitura invista 54% com a folha de pagamento. Estudo feito pela Controladoria Geral do município aponta que o percentual de reajuste de 3%, retroativo ao mês de abril, oferecido à categoria, elevaria o índice para 53,6%”, detalhou a nota oficial.


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

%d blogueiros gostam disto: