Encontro em São João Batista do Glória discutiu rota ecoturística e preservação ambiental

SÃO JOÃO BATISTA DO GLÓRIA – Na manhã de sexta-feira (16) a UEMG Unidade Passos, por meio do seu recém-criado Núcleo Empreendedor de Tecnologia Ambiental (NETA), entregou à Administração Municipal de São João Batista do Glória e a empresários de pousadas os painéis de sinalização da rota ecoturística “Caminhos da Canastra”, criada para percursos dentro do município. Durante o evento, houve também a apresentação de outros projetos da universidade que abordam a Serra da Canastra. O encontro aconteceu no auditório da prefeitura gloriense e reuniu mais de 30 pessoas, entre representantes do Executivo e do Legislativo (atuais e eleitos), da UEMG, do Conselho Municipal de Turismo (COMTUR), do Instituto Chico Mendes (ICMBio), da Sicoob Saromcredi (Cooperativa de Crédito de São Roque de Minas) do Programa Líder Sudoeste Mineiro e de empresários do setor turístico local. Os painéis que foram entregues são resultantes da dissertação de mestrado do turismólogo Conrado Andrade, no Programa de Mestrado em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente da UEMG Passos, sob orientação da professora Rita Ribeiro Carvalho e coorientação do professor Ricardo Godinho. As placas foram produzidas com recursos advindos de premiações do projeto e de patrocinadores, e serão instaladas pela prefeitura e por empresários presentes na rota criada. A prefeita Aparecida Nilva dos Santos, que foi reeleita para a próxima gestão, deu as boas-vindas aos participantes e afirmou o compromisso da Administração Municipal para com o desenvolvimento do turismo. A professora Marisa da Silva Lemos, vice-diretora acadêmica e diretora administrativa da UEMG Passos, ressaltou o papel da universidade na produção de estudos e projetos que desenvolvem o turismo sustentável. “A Espanha, país cujo território é menor que Minas Gerais, teve sua salvação econômica no turismo. Nós temos aqui todos os recursos para fazer do turismo um grande gerador de trabalho e renda para a cidade e a região”, afirmou a professora. Após a abertura solene do evento, a professora Rita Carvalho, coordenadora do programa de mestrado da UEMG Passos, e o turismólogo Conrado Andrade apresentaram os aspectos técnicos do trabalho realizado. Rita expressou sua satisfação com os resultados do aluno de mestrado e com a entrega de um produto à comunidade, mas também manifestou sua preocupação quanto à realização de trilhas de forma inadequada por motociclistas que visitam a serra, o que vem provocando impactos ambientais. “Precisamos do apoio de cada um que está aqui, para monitorar e para chegarmos a uma normatização que assegure um turismo sustentável”, pediu a coordenadora. A seguir, Conrado Andrade, que também é agente-bolsista do Núcleo de Inovação Tecnológica da UEMG (NIT), discorreu brevemente sobre o trabalho, que deu origem a uma rota ecoturística de 37 km no município gloriense, específica para prática de trekking. A rota é dividida em três percursos: do Paraíso Perdido até o Vale dos Canteiros; dos Canteiros até o Letreiro; e do Letreiro até a Cachoeira do Quilombo. Cada percurso foi estudado e classificado quanto a perigos e dificuldades, quanto ao grau de dificuldade para orientação, quanto ao piso e condições para percorrê-lo e quanto à intensidade de esforço físico para a caminhada. Essas classificações constam nos painéis, que trazem outras informações como elementos da flora, da fauna e aspectos históricos da região. O “Bird Watching”, que é a prática da observação de pássaros, também foi abordado por Andrade como um importante potencial para o turismo local e regional. A entrega oficial dos painéis foi feita em seguida, aos representantes dos empreendimentos por onde passa a rota ecoturística: Paraíso Perdido, Pousada Canteiros e Pousada Mirante, que conforme ressaltou Conrado Andrade, atuam como “guardiões desses equipamentos e do meio ambiente”. O público presente também ouviu as explanações da estudante de Engenharia Ambiental Thais Magri, que realizou um estudo de rotas ecoturísticas, em continuidade à proposta de Andrade; e a apresentação dos estudantes Leonardo Bernardes, Fabrício Ávila e Ana Paula Jacó, que participam do projeto Grande Minas, sob orientação do professor da UEMG Passos Eduardo Collares. O “Grande Minas” produziu um vasto levantamento sobre hidrografia, hidrologia, clima, geologia, geomorfologia, flora e unidades de preservação, aspectos socioeconômicos, uso e ocupação do solo, saneamento básico, usuários dos recursos hídricos e qualidade das águas nos principais afluentes da região do Médio Rio Grande.

Postado originalmente por: Virou Noticia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: