Enfermeiros são capacitados para atender gestantes

Secom/ PMI

Enfermeiros da Secretaria de Saúde de Ipatinga participam do curso de Educação Continuada sobre o Programa de Humanização do Pré-Natal

Valorização profissional, incentivo ao alcance de metas do Ministério da Saúde e humanização do serviço prestado aos usuários. Estes são alguns dos benefícios enumerados pelos enfermeiros da Secretaria de Saúde de Ipatinga ao participar do curso de Educação Continuada sobre o Programa de Humanização do Pré-Natal.

Promovido pelo Departamento de Atenção Básica (DAB), da Secretaria de Saúde, o evento reuniu cerca de 40 enfermeiros, no começo da semana. Muitos deles atuavam há mais de dez anos sem capacitação sobre o assunto. Até o início de junho, a Secretaria espera estender à classe médica o trabalho de atualização de protocolos relacionados com a área.

A diretora do Departamento de Atenção Básica, Mariley Garcia, reforçou a importância da implementação de práticas de educação permanente, capazes de potencializar a atuação dos profissionais de saúde na promoção da humanização em todo o processo de assistência às gestantes e crianças:

“A atenção qualificada torna a prática obstétrica e de enfermagem segura e capaz de manejar tanto a gestação quanto o trabalho de parto, o parto e o puerpério. Assim, são diminuídas complicações eventuais que possam prejudicar mulheres e recém-nascidos. Queremos instrumentalizar nossos profissionais para construir a ‘Rede Cegonha’ no município, com ações que garantam a redução da mortalidade materna e infantil, em consonância com as Diretrizes do Pacto pela Vida e a execução do Programa de Humanização no Pré-natal e Nascimento”, explicou a diretora, que também parabenizou os profissionais pelo Dia da Enfermagem, comemorado em 12 de maio.

Valorização

Para o enfermeiro Samir Felipe, que atua na Unidade Básica de Saúde do bairro Iguaçu, constantemente as portarias do Ministério da Saúde passam por reformas e modificações, o que demanda a atualização dos profissionais: “São vários os benefícios ao participar da educação continuada. Passamos a compreender os protocolos atuais e, com isso, a taxa de erro é minimizada. Há uma clareza para o alcance de metas, visando captação de recursos para o município na esfera estadual e federal”, avalia. “Somando-se a isso” – ele acrescenta –, “há ainda a valorização do enfermeiro na sua atuação, motivando um atendimento mais humanizado e de qualidade para a comunidade”.


Postado originalmente por: Diário do Aço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com