Ex-prefeita rebate acusações que envolvem sua gestão em Coronel Fabriciano

Tiago Araújo

Rosângela Mendes comandou a administração de Coronel Fabriciano entre 2013 e 2016

A ex-prefeita de Coronel Fabriciano, Rosângela Mendes (PT), convocou a imprensa nesta quarta-feira (22), para responder as acusações feitas pelo atual prefeito do município, Marcos Vinícius Bizarro (PSDB). A ex-prefeita rebateu denúncias feitas pelo seu sucessor envolvendo a sua gestão. O ex-vice-prefeito Bruno Torres, o ex-prefeito Chico Simões e o vereador Marcos da Luz acompanharam Rosângela Mendes durante a entrevista.

Segundo a ex-prefeita, as informações repassadas por Marcos Vinícius, durante o anúncio da intervenção na Previdência dos Servidores do Município (Prevcel), estão incorretas. “Em primeiro lugar, estranhamos essa intervenção, porque é uma intervenção no próprio governo dele. Ele disse que não tinha Certificado de Regularidade Previdenciária (CRP) quando entrou no governo e que estava com dificuldade para administrar. Isso aí é um equívoco, porque no dia 9 de janeiro, já existia essa CRP, então não tinha necessidade de instaurar o decreto de calamidade pública”, ressalta.

Conforme a ex-prefeita, quando sua gestão chegou ao fim, a previdência estava toda regular e com recursos ainda. “Entregamos com um saldo de, aproximadamente, R$ 30 milhões. Deixamos tudo organizado. Acredito que essa intervenção é mais um factoide, uma cortina de fumaça para encobrir outras coisas que virão”, afirma.

Aposentadorias irregulares
Rosângela Mendes avalia que a Prevcel tem o Conselho da Previdência e Conselho Fiscal, que são deliberativos, o que impossibilita a concessão de aposentadorias de forma irregular. “Não se toma nenhuma atitude com a Prevcel sem passar por esses dois conselhos. E também não existe nenhuma aposentadoria que não seja homologada pelo Tribunal de Contas e pelo INSS. Enfim, o prefeito não faz nada sozinho. As minhas contas foram aprovadas, se tivesse alguma irregularidade com a Prevcel, jamais seriam aceitas no Tribunal de Contas”, destaca.

Processos administrativos
Em relação aos processos administrativos citados pelo prefeito Marcos Vinícius, apontando até a comercialização indevida de espaços no cemitério público, Rosângela Mendes afirmou que eventuais irregularidades dessa natureza não ocorreram em seu mandato. “Existe um decreto de 2008 que proíbe a venda de túmulos, e nós respeitamos isso durante a minha gestão. Desafio qualquer um a mostrar documento que eu tenha assinado autorizando a venda de túmulo no cemitério. E sobre a venda de terrenos públicos irregulares, pelo que eu sei, isso jamais ocorreu no nosso governo, mas se algum funcionário fez isso, então, que seja punido”, salienta.

Responsabilidade
Na entrevista também foi citado que o Poder Legislativo, diferentemente do que foi anunciado pelo atual presidente do Legislativo, Leandro Xingó (PSD), é dever sim, da Câmara Municipal, apurar denúncias que envolvem parlamentares em supostas irregularidades. Na entrevista que concedeu na segunda-feira, Marcos Vinícius não descartou a possibilidade de envolvimento de parlamentares na comercialização de imóveis públicos, sem, contudo, citar nomes.


Encontrou um erro? Comunique: [email protected]

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: