Homem mata esposa que estava grávida após ela acordar com comportamento estranho em Barbacena

Suspeito afirmou que não tinha nenhum motivo para matar a mulher


Na madrugada desta segunda-feira (8), um homem de 32 anos foi preso após matar a própria esposa que estava grávida por asfixia, em Barbacena, na região do Campo das Vertentes, em Minas Gerais.

A Polícia Militar foi até o local do crime após receber denúncias de perturbação pelo número 190, realizadas por vizinhos do casal. Porém, quando os militares chegaram à residência encontraram o corpo da mulher jogado sobre o chão da sala.

No entanto, o homem confessou o crime e vai ser indiciado por feminicídio. A violência teve início por volta das 3h, quando a PM foi acionada pelos moradores do prédio, localizado no bairro Boa Morte.

As ligações para o 190 destacavam perturbação de sossego e algumas relatavam que a mulher poderia ser vítima de violência doméstica.

Ao chegar na casa do casal, os militares encontraram o homem apenas com roupas íntimas, no meio da rua. Porém, ao visualizar a viatura, o suspeito correu para o interior do prédio e trancou o portão. Os policias só conseguiram entrar depois que vizinhos abriram a entrada do edifício.

O suspeito se encontrava calmo, mesmo com o corpo da mulher ao lado. O SAMU – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência foi acionado, porém o médico constatou o óbito.

Já o homem afirmou em depoimento que era paciente psiquiátrico, mas havia interrompido o tratamento em fevereiro deste ano. O suspeito ainda relatou que é médium e, que durante a noite, a esposa teria apresentado um comportamento estranho.

Em seguida, ele a chamou para rezar, porém a mulher teria soprado várias vezes o seu rosto e dado início a uma série de agressões contra ele.

Segundo o marido, a mulher só se acalmou após ele enrolar um cobertor ao redor do pescoço dela e a asfixiar. Depois de matar a esposa, o homem teria rezado aos gritos pelos corredores do prédio e procurado por um vizinho que não abriu a porta com medo do suspeito.

Além disso, o homem ressaltou aos militares que não tinha nenhum motivo para matar a esposa. As testemunhas que acionaram a PM não souberam dizer se o casal tinha algum histórico de brigas. Ambos não tinham passagens pela Justiça.

Por: Gabrielle Junqueira
(com supervisão de Patrícia Marques) 

Anexos para downloads:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: