Hospital fabricianense poderá ser reaberto dia 21

O hospital José Maria Morais, em Coronel Fabriciano, deverá reabrir as portas no dia 21 de junho, às 10h, com a presença do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel. A informação é de uma fonte do jornal Diário do Aço, que acompanha o andamento do trâmite burocrático para a transferência da gestão da instituição para o município de Coronel Fabriciano.

Wôlmer Ezequiel

O hospital de Coronel Fabriciano fechou as portas no dia 30 de maio

Mais um passo foi dado neste começo de semana, com a primeira parcela da transferência de dinheiro para a reabertura do hospital. Todo o dinheiro para o funcionamento do hospital será do estado. A prefeitura entra apenas com a gestão e terá 90 dias para abrir a chamada publica com licitação de uma nova entidade para assumir como mantenedora do hospital José Marcia Morais.

O hospital está com as portas fechadas desde o dia 30 de maio, quando a Sociedade Beneficente São Camilo afastou-se da instituição, por não ter a renovação do contrato com o estado. O fechamento do hospital desencadeou uma crise no sistema de atendimento de urgência e emergência pelo SUS no Vale do Aço, com reflexo na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e Hospital Márcio Cunha, ambos em Ipatinga. Para complicar a situação, também em Timóteo o Hospital e Maternidade Vital opera com restrições em função de problemas no contrato entre a mantenedora, São Camilo e o estado.

R$ 10,85 milhões
A Câmara Municipal de Coronel Fabriciano aprovou por unanimidade na tarde desta segunda-feira (12), em reunião extraordinária convocada pelo presidente da Casa, vereador Leandro Xingó, o Xingozinho (PSD), o Projeto de Lei 2.828/2017 que autoriza o Município a abrir Crédito Adicional Especial no valor de R$ 10,85 milhões, com o objetivo de acelerar o processo de reabertura do hospital público de Coronel Fabriciano – antigo Hospital São Camilo e agora Hospital Dr. José Maria Morais.

“O Poder Legislativo Municipal já vinha fazendo a sua parte antes dessa aprovação. Estivemos na semana passada em Belo Horizonte com o secretário de Estado de Saúde e, na ocasião, fomos informados de que o governo estadual faria, já nos dias seguintes, o primeiro de três repasses no valor de R$ 1,55 milhão, cada, para custeio e manutenção do hospital. Conforme havíamos antecipado, essa primeira parcela então caiu nos cofres da prefeitura nas últimas horas, culminando agora com mais essa aprovação da Câmara, o que agiliza ainda mais esse processo de reabertura daquela importante unidade hospitalar, contribuindo assim para que a administração municipal tenha condições de gerir o hospital com tranquilidade”, enfatizou o presidente.

Segundo a matéria, de autoria do executivo municipal, o recurso visa atender despesas referentes ao repasse financeiro estadual para a manutenção do hospital público de Coronel Fabriciano.

Na reunião dos representantes de Coronel Fabriciano na Secretaria de Estado de Saúde foi pedida a implantação de maternidade, pediatria, realização de cirurgias eletivas, utilização de todos os 122 leitos da unidade e construção de um elevador para o hospital. A antiga mantenedora do hospital utilizava apenas 60 leitos.

Andamento

Em nota divulgada na manhã desta segunda-feira (12), a administração de Coronel Fabriciano explica que está em trâmite a regularização do Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde (CNES), de modo a viabilizar o atendimento no cadastro no SusFácil, bem como a vistoria do hospital para liberação de Alvará Sanitário, “providências estas que competem à Superintendência Regional de Saúde, órgão descentralizado da Secretaria de Estado de Saúde”, informa.
Ainda conforme o governo, paralelamente, as escalas de corpo clínico já se encontram em formação, assim como se estabelecem os contratos com prestadores de serviços, são efetuadas as compras de insumos, materiais e medicamentos necessários para segurança do paciente, além das demais medidas de ordem administrativa imprescindíveis para o pleno atendimento da população.

Hospital Márcio Cunha amplia escala de plantonistas

Para fazer frente ao aumento na demanda por atendimentos de urgência e emergência, surgido com o fechamento do hospital em Coronel Fabriciano, a diretoria do Hospital Márcio Cunha (HMC), em Ipatinga, teve que ampliar a escala de plantonistas.

Conforme dados informados nesta segunda-feira, pela assessoria de comunicação do HMC, houve aumento em 15% do volume total de atendimentos no pronto-socorro se comparado com o mesmo período do ano anterior. A sobrecarga é atribuída à chegada de pacientes originários da regional de de Coronel Fabriciano.

Em números absolutos o aumento representa 1.596 atendimentos no mês de maio em relação ao ano anterior. Em Junho (período de 1º a 11) o aumento foi de 872 atendimentos em relação ao mesmo período do ano anterior.
Também houve aumento médio de 80% no número de solicitações de transferências via SUS Fácil.

Questionada sobre um plano de contingência para enfrentar a situação, a assessoria informou que foi determinado o aumento de plantonistas nas escalas de Clínica Médica e Pediatria no Pronto Socorro.

Depois da notícia publicada pelo Diário do Aço sob o título “Diretor da FSFX critica situação de hospitais em Fabriciano e Timóteo”, a Fundação São Francisco Xavier, mantenedora do HMC também já foi procurada por representantes do poder público na tentativa de encontrar uma solução para crise hospitalar. “Também solicitamos agenda junto aos prefeitos para buscarmos solução compartilhada para toda a região”, conclui a nota.


Postado originalmente por: Diário do Aço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: