Ipatinga terá marcha em defesa dos animais no sábado

Divulgação

O evento ocorre em vários lugares do país nesta data específica

No próximo dia 7 será realizada a Marcha em Defesa Animal, das 9h às 13h, no Centro de Ipatinga, promovida pela Organização Não Governamental (ONG), ‘Sobre Quatro Patas’, com apoio da Brigada Planetária. A marcha é promovida em todo o mundo nesta data específica no ano, com o objetivo de conscientizar as pessoas de que a prática de maus tratos aos animais é crime, com penalidades previstas em lei.

A marcha em Ipatinga tem caráter regional. No evento, serão utilizados cartazes, faixas, banners e carro de som. A concentração está prevista para a Praça Caratinga, passando pela avenida João Valentim Pascoal e pela Praça 1º de Maio, até alcançar o Novo Centro, nas proximidades da Casa do Artesão.

Todos os que acreditam nos direitos dos animais e são contra crueldades serão bem-vindos, avisa Edna Albino, coordenadora da ‘Sobre Quatro Patas’, uma ONG atuante em Belo Horizonte. Criada há cerca de 3 anos, a entidade agora amplia seu trabalho para o Vale do Aço, inicialmente prestando serviço em Ipatinga.

“Sou de Ipatinga e sempre trabalhei na proteção e resgate animal. Atuei por muitos anos na capital mineira, mas retornei para perto de minha família. Trouxe comigo esta necessidade de continuar com a causa na região, já que são vários os registros de animais mortos de forma horrível, ou vítimas da crueldade humana que são abandonados depois, para morrer à míngua”, salienta a ativista.

Segundo ela, o trabalho de organização da marcha em Ipatinga foi feito em conjunto com a Brigada Planetária, uma ONG com atuação em Belo Horizonte, voltada ao resgate de animais em situação de risco e que faz o encaminhamento para adoção através de feiras. E realiza ainda campanhas de conscientização sobre proteção ao meio ambiente e aos animais.

Tiago Araújo

Renata Melo é vice-diretora e Edna Albino a diretora da “Sobre Quatro Patas”

Edna ainda conta que, temporariamente, o abrigo da ‘Sobre Quatro Patas’ funciona na cidade de Ipaba, até que haja condições da ONG obter sede própria em Ipatinga. E muitos cães e gatos estão no momento em lares temporários por falta de espaço no local. “Trabalhamos por amor à causa mesmo, já que são muitas as dificuldades financeiras. Estamos sempre precisando de alimentos e remédios para os nossos cães e gatos”, lembra Edna.

Como doar
Edna Albino acrescenta a importância de as pessoas se conscientizarem que, adquirir um animal de estimação, é assumir uma “guarda responsável”. Isso consiste em planejar e tomar alguns cuidados necessários e obrigatórios para manter seu cão ou gato sempre saudável e feliz, tais como alimentação e água frescas, acomodação adequada, levá-lo ao veterinário regularmente, evitar o estresse no animal, castrá-lo e dar condições para que possa brincar.

Edna Albino diz que a ONG tem muitos cães e gatos em condição de serem adotados. “Todos que estão disponíveis para adoção estão saudáveis, castrados e devidamente vacinados”, observa. Durante a marcha deste sábado, doações de ração ou medicamentos variados também podem ser feitas. Os interessados podem entrar em contato pelo telefone (31) 98964-2204.

O que diz a lei
A Lei Estadual n° 21.970, de 15 de janeiro de 2016, estabelece medidas de proteção, identificação e controle da população de cães e gatos em Minas Gerais. Além de buscar a garantia do bem-estar animal e também define normas para a comercialização, guarda e a prevenção de zoonoses.

O artigo 32 da Lei 9.605/98 determina detenção de 3 meses a 1 ano e multa a quem praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos ou realizar experiência dolorosa ou cruel em animal vivo. Em casos assim, a punição é aumentada de um sexto a um terço se ocorrer a morte do animal.

Caso presencie maus-tratos a animais de quaisquer espécies, como abandono, envenenamento, prisão constante em correntes ou cordas muito curtas, manutenção em lugar anti-higiênico, mutilação, presos em espaço incompatível ao porte do animal ou em local sem iluminação e ventilação, utilização em shows que possam lhes causar lesão, pânico ou estresse, agressão física, exposição a esforço excessivo e animais debilitados (tração) entre outros, procure a Delegacia de Polícia mais próxima para lavrar o Boletim de Ocorrência (BO), ou compareça à Promotoria de Justiça do Meio Ambiente.


Postado originalmente por: Diário do Aço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: