Migração (AM-FM): Grupo Emboabas inicia 2018 com nova frequência

Após quase quatro anos de empenho e com a ajuda da AMIRT, o grupo passou a ter suas duas emissoras de rádio operando em FM

Ano novo, frequência nova. Desta maneira, o grupo de rádios Emboabas, de São Jõao Del Rey, na região Central, começou 2018. O grupo conta com duas emissoras de rádio, sendo que a mais velha delas começou a operar em FM, no último dia 02 de janeiro.

Desde que foi lançada, há 40 anos, a Emboabas AM operava na frequência 1480. Cinco anos após o lançamento da rádio AM, o grupo lançou a Emboabas 96,9 FM. À vontade de migrar a emissora AM para FM surgiu do desejo de separar a programação entre musical e informativa, tendo, desta maneira, uma emissora voltada apenas para um tipo de conteúdo.

O processo de migração foi longo. Desde 2014, quando surgiu a oportunidade de efetuar a migração, a direção da rádio fez a solicitação de maneira imediata. “Durante todo o processo, que naturalmente não é rápido, começamos a tomar uma série e decisões e a fazer planejamentos”, disse o diretor-geral da emissora, Bruno Mazzoni.

Após a assinatura do contrato, o processo de migração teve início. Porém, assim como outras rádios que fizeram ou estão fazendo a migração, várias dificuldades surgiram no caminho. O grupo destaca que as Associações de Rádio foram determinantes para conseguir lidar com as adversidades que apareceram durante o processo.

“Com o importante apoio da AMIRT, por meio de seu presidente, Mayrinck Aguiar, e toda a equipe, e da ABERT, representada por André Cintra e jurídico, conseguimos contato com o Ministério das Comunicações e com a Anatel, o que possibilitou resolver os assuntos pendentes”, comentou Mazzoni.

Junto à chegada da nova faixa, uma importante decisão teve de ser tomada pela rádio. Por unanimidade, foi decidido manter o nome “Rádio Emboabas” para as duas FMs. Segundo a o diretor da emissora, “quanto mais Emboabas, melhor”.

Desta maneira, a Emboabas conta com duas faixas operando em FM. O conteúdo é diferenciado entre as duas frequências. Na 96,9FM o ouvinte conta com uma programação voltada para o ambiente musical. Já na 92,7 FM, o conteúdo é mais informativo e de caráter jornalístico.

Segundo Mazzoni, a migração trouxe uma nova programação, com mais opções e vários benefícios para os ouvintes e anunciantes, além de conquistar novos ouvintes. “Tecnicamente estamos atingindo ainda mais localidades e agora, com som em estéreo, com menos interferências, e ainda com a opção de sermos ouvidos nos celulares com FM. Em resumo, a migração significou um avanço na transmissão, aumentando a qualidade, as possibilidades de investimento e de mais audiência”, disse.

 

G.R

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: