Paraíso vai ter campus da Universidade de Lavras

SÃO SEBASTIÃO DO PARAÍSO – Campus da Universidade Federal de Lavras (Ufla) será instalado em São Sebastião do Paraíso. A notícia foi dada na manhã de ontem, terça-feira, (27/12), quando o reitor da instituição, professor José Rober-to Scolforo, esteve em visita técnica à cidade para conhecer as áreas com possibilidade de abrigar as instalações. Tal terreno será a contrapartida que o município dará para viabilizar a vinda da Universidade para a cidade, entre outros benefícios que serão definidos na concepção prática do projeto. O professor disse que a ideia é colocar o novo campus paraisense em funcionamento até o fim de sua gestão como reitor, ou seja, em três anos e meio. Para isso, disse que a intenção é iniciar os projetos imediatamente. O reitor veio acompanhado de professores de áreas diferentes que vão ajudá-lo no levantamento das potencialidades do município e região e na avaliação das possibilidades que Paraíso oferece. Eles foram recepcionados na Prefeitura pelo prefeito Walker Américo Oliveira; pela vice-prefeita Dilma Aparecida Oliveira, deputado federal Carlos Melles; deputado estadual Antônio Carlos Arantes; e pelos dez vereadores eleitos. Para realização do projeto também vão considerar a posição geográfica do município, o potencial da cidade e região e a demanda universitária regional. A vice reitora, Édila Vilela, garantiu que não se trata de fazer apenas uma expansão da universidade, mas trazer um ensino para Paraíso de grande qualidade, com a melhor infraestrutura para atender aos anseios da comunidade. A comitiva da Ufla foi formada pela vice reitora Édila Vilela,  pró-reitores João Cri-sóstomo e Ronei Ximenes, o prefeito do Campus de Lavras Jakson Barbosa, o arquiteto Giovani Salomão e o assessor José Maria Lima. Após a reunião no gabinete do prefeito Walker, todos seguiram para a visita técnica nas áreas cogitadas para se implantar o campus. O professor Scolforo disse que quer também fazer apresentação das intenções em sessão da Câmara e abrir para a comunidade por meio de uma audiência pública a ser agen-dada para o início do ano que vem. Após visitas às possíveis áreas onde será o endereço do futuro campus da Ufla, a comitiva se reuniu novamente, desta vez no escritório regional do deputado Melles, onde já traçaram um plano de ação. O projeto O professor e reitor da Ufla, José Roberto Scolforo, disse que a elaboração do projeto do campus da Universidade em Paraíso vai contemplar tudo o que é necessário como a qualidade de ensino, toda a infra-estrutura física de obras, montagem de laboratórios e seus equipamentos, corpo docente, técnicos, biblioteca, restaurante universitário e alojamentos para estudantes. “Em três a quatro meses o projeto deverá estar pronto”, previu ele. Para definir um prazo de instalação completo, o professor disse que é preciso negociar com o governo federal. “Conseguidos os recursos a implantação se dará em curto prazo”, garantiu, mesmo considerando o momento de crise econômica do país, disse. “Esperamos começar a funcionar, dentro do padrão de qualidade Ufla, em três anos e meio. Isso é muito ousado”. O professor Scolforo disse que é prematuro falar em custos nesse momento ainda embrionário, mas que toda a implantação “nessa primeira fase de estrutura física pode ficar entre R$ 80 e R$ 120 milhões. Além disso, tem os professores e técnicos”. Ele ressaltou que a presença de uma universidade em uma cidade é como ter uma grande indústria de energia limpa, dando enorme impulso à economia local. “Professores e técnicos têm um salário decente e vão gastá-lo na cidade, bem como os estudantes que aqui passarão a viver, alguns até trazem suas famílias, consumindo na cidade. Como o projeto contempla também a pós-graduação, vai gerar inovação, com pesquisa de qualidade, tudo o que vai ser desenvolvido dentro do município, em pequenas fábricas que surgirão para isso. É um projeto de longo prazo que a curto prazo já dá grandes respostas positivas”, explicou o reitor. Valor de Paraíso O magnífico reitor, Scolfo-ro, ressaltou o que o município possui diversas qualidades. Ele disse que Paraíso é um local muito estratégico porque tem uma agricultura muito forte; há comunidades importantes no entorno; há proximidade com o interior de São Paulo (Franca, Ribeirão Preto e Sertã-ozinho); a distância ao campus de Lavras é razoável, pois não é próxima demais que não justifique a abertura de um novo campus, nem longe demais que inviabilize a administração. Concretização O professor Scolforo disse que a viabilidade da instalação do campus em Paraíso só será possível por meio do governo federal. Os recursos viriam do Orçamento Geral da União, por meio de montantes alocados para o ensino superior pela bancada mineira no Congresso Nacional, com trabalho do deputado federal Carlos Melles, em parceria com o reitor Scol-foro, na suplementação de valor orçamentário direcionado à Ufla, em 2017. “Sabemos da dificuldade que vive o país, mas também sabemos do crédito que o deputado federal Carlos Melles tem junto ao governo federal, isso pode fazer com que o projeto se transforme em realidade em curto prazo”. O reitor explicou que, conhecendo as áreas disponíveis para a instalação do campus, a elaboração do projeto terá início imediato. Entre as áreas estudadas estão onde seria a instalação do SESC/ Laces, no bairro Jardim Mediterranèe; o Parque de Exposições “João Bernardes Pinto Sobrinho”; áreas próximas da Arena “João Mambrini” e o Instituto “Monsenhor Felipe”. O prefeito Walker explicou que O SESC/ Laces não deve ser implantado como no projeto original, com hotel, teatro e parque esportivo, entre outros. Segundo o prefeito já houve negociações com a diretoria da instituição para que devolva a área ao município. “O município daria em troca a Praça de Esportes ‘Castelo Branco’, a fim de que o SESC instale seu parque esportivo e teríamos uma área nobre, com infra-estrutura já construída, em bairro de fácil acesso, para que a Ufla possa implantar seu campus paraisense”, disse. Cursos O reitor José Roberto Scolforo disse que a determinação de quais cursos funcionarão na cidade vai depender de uma pesquisa, incluindo a região. “Porém, já podemos dizer que conseguimos identificar o perfil, de que serão aqueles cursos com grande capacidade de gerar inovação tecnológica, voltados para as engenharias. A saúde, por exemplo, seria uma área que não estaria contemplada nessa grade de cursos. Desejamos o máximo de inclusão responsável, atraindo estudantes ‘do bem’, aqueles com o intuito de se dedicar aos estudos, dando oportunidade a todos”. Já está funcionando um polo de graduação de Educação À Distância (EAD), em Pedagogia, atendendo às 50 primeiras vagas preenchidas no primeiro processo vestibular que a instituição fez em Paraíso. Para 2017 já há programação de dois cursos de especialização, que são Gestão Pública e Gestão Pública Municipal com 50 vagas cada. Usando a cafeteira de cap-sulas de café como exemplo de agregação de valor ao produto café, o reitor José Roberto Scolforo disse que falta isso ao setor cafeeiro para valorizar o que o país mais produz. Assim, garantiu ele, os cursos que funcionarão na cidade vão respeitar vocação do município, que é a produção de café, porém agregando valor com a tecnolo-gia e a inovação que os cursos promoverão. “Desta forma, poderemos trazer algo mais para a valorização do café, esse será o conceito de nossos cursos: inovar”. Apoio político Melles elogiou a gestão do reitor Scolforo. “A UFla tem atualmente 32 obras em andamento, possui equilíbrio sobre o aspecto ambiental, energético e financeiro, uma gestão para muito prefeito copiar. Essa parceria se estende em muito mais, pois ganharemos um corpo qualificado que não tem preço e pode nos auxiliar em outras áreas”. Arantes fez um balanço do trabalho que os políticos da cidade já fizeram para trazer o ensino superior gratuito a Paraíso, e que inúmeras dificuldades surgiram, impossibilitando a conclusão desse sonho. “Muitos nos criticaram porque não conseguimos finalizar esse trabalho, que é a grande aspiração do povo paraisense. Espero agora poder concretizar isso. A Ufla é uma instituição especial, de grande qualidade”, ressaltou ele e usou Singapura como exemplo de país que adotou a tecnologia e a inovação como o principal de sua economia e chamou a atenção do mundo. O vereador Marcelo de Morais disse que todos os vereadores vão trabalhar incansavelmente para implantar o campus da Ufla em Paraíso. “Atualmente saem de Paraíso 623 alunos para estudarem fora. Nos últimos dez anos, formaram 5.800 estudantes na Universidade de Franca (Uni-fran), na Universidade de Gua-xupé (Unifeg), nas Claretianas de Batatais e na UEMG de Passos, por isso estamos todos aqui para apoiar o que o senhor precisar. História – Janeiro de 2008: A Prefeitura de Paraíso formalizou solicitação para que fossem avaliadas as possibilidades de implantação de um campus no município. – Março de 2008: A Reitoria da Ufla designou comissão de professores para análise de proposta e apresentação de relatório que subsidiou a apreciação do assunto pelos Conselhos Superiores da Universidade. – Abril a dezembro de 2008: A comissão visitou o município. – Maio a julho de 2009: Os projetos técnicos foram apresentados e discutidos pelas comissões da Ufla, sendo aprovados para conclusão dos trabalhos e encaminhados aos Conselhos Superiores. – Agosto de 2009: O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe) aprovou a resolução e fez o encaminhamento ao Conselho Universitário (Cuni) da proposta de criação de extensão da Ufla em Paraíso. – Setembro de 2009: O Cuni aprovou a resolução e fez o encaminhamento para o Ministério da Educação. O prefeito Walkinho lembrou da presença na Unifenas na cidade anos atrás, e o quanto foi benéfico para o município. A retomada de todas essas ações acontece agora.

Postado originalmente por: Virou Noticia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: