Polícia Federal cumpre mandados contra Aécio Neves em BH e Rio de Janeiro

A Polícia Federal cumpriu na manhã de hoje (11), em Belo Horizonte e também na região Metropolitana, mandados de busca contra o senador Aécio Neves (PSDB) e outros envolvidos em esquema de caixa dois.

A “Operação ROSS” investiga o recebimento indevido por parte de três senadores da República e também de três deputados federais. A operação de hoje é um desdobramento da “Operação Patmos”, que foi deflagrada em maio de 2017, que identificou a solicitação indevida de vantagens junto ao Grupo J&F, uma holding dos irmãos Wesley e Joesley Batista, que teria repassado o montante que pode ter chegado a quase R$ 110 milhões de reais entre 2014 e 2017.

As informações estão em delação premiada por Joesley Batista e Ricardo Saud, executivo do Grupo J&F.

A PF ressalta que parte destes valores teria sido utilizada na campanha de Aécio Neves à presidência da República, em 2014, e também para a compra de apoio político junto ao partido Solidariedade, que é comandado pelo deputado federal Paulinho da Força (SP). Estima-se que o valor repassado ao partido chegue a R$ 15 milhões de reais. As investigações apontam que o envio do dinheiro teria ocorrido também por meio de várias empresas que geraram notas de serviços não prestados.

Na operação desta manhã, agentes da PF realizaram buscas em imóveis do senador Aécio Neves, no bairro Anchieta, zona sul de BH e também no Rio de Janeiro, e da sua irmã Andrea Neves em um condomínio em Nova Lima, região Metropolitana da capital.

Além de Aécio e Andrea Neves, o primo deles Frederico Pacheco é investigado por participação no esquema, assim como existe na investigação a citação do senador Antônio Anastasia.

Vale ressaltar que Andrea Neves e Frederico Pacheco haviam sido presos em desdobramentos da “Operação Patmos”, conseguiram a reversão da prisão preventiva em prisão domiciliar, sendo posteriormente liberados do cumprimento da medida por decisão do Superior Tribunal Federal (STF).

Os quase 200 agentes federais dão cumprimento a 24 mandados de busca e apreensão, expedidos pelo STF. As medidas estão sendo cumpridas em oito estados e no Distrito Federal, são eles, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Rio Grande do Norte, Mato Grosso do Sul, Tocantins e Amapá.

O advogado Aberto Zacarias Toron, representante do senador Aécio Neves, divulgou nota em que friza o comprometimento do seu cliente em esclarecer todas as questões abordadas na investigação e que as doações realizadas pela J&F para o PSDB, foram devidamente registradas junto à Justiça Eleitoral e as contas aprovadas pelo órgão. “A correta e isenta investigação vai apontar a verdade e a legalidade das doações feitas”, escreveu Toron.

Já a assessoria do senador Antônio Anastasia alega que não existe nenhum mandado contra ele.

De acordo com a PF, o nome da operação “Ross” faz referência a um explorador britânico que dá nome a maior plataforma de gelo do mundo na Antártida, fazendo alusão às notas fiscais frias que estão sob investigação.

 

 

Por: Edson Barbosa

(Revisado por Patrícia Marques)

 

Anexos para downloads:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: