Repasses de recursos para hospital devem evitar greve

O repasse emergencial de recursos do SUS, em atraso, para o Hospital Vital Brazi/São Camilo, em Timóteo, deverá evitar a paralisação dos serviços dos médicos, agendada para esta sexta-feira (25). A avalição é do secretário de Saúde de Timóteo, César Luz.

Alex Ferreira / Arquivo DA

Parcelas de convênios com o SUS voltaram a ser repassadas, informa secretário de Saúde

Em entrevista ao Diário do Aço, nesta quinta-feira, o secretário explicou que reuniu-se com o subsecretario de Políticas e Ações de Saúde do estado, Homero Filho. “Ele se comprometeu a empenhar-se para a liberação das verbas federais que restam ainda para o hospital, de R$ 4,2 milhões. Nesta semana ainda ele me deu um retorno de que estava fazendo um comando para o pagamento das parcelas de setembro e outubro”.

“O hospital já confirmou que recebeu o mês de setembro, eu fiz o contato nesta quinta-feira (25) com o subsecretario e ele me disse que está tentando a liberação de outubro ainda para hoje e para os próximos dias o Rede Resposta de dezembro. Essas parcelas todas somadas reúne um quantitativo de R$ 1,4 milhão”, detalhou o secretário.

Luz acrescentou que, com o pagamento de setembro, o hospital já iniciou a reposição dos vencimentos dos médicos e, entrando a parcela de outubro, estaria afastada a possibilidade da paralisação. E repasse era esperado até a tarde de quinta-feira.

“Estamos em contato com o governo para ver se a gente consegue essa liberação e também com o hospital no esforço conjunto”, acrescentou.

Uma assembleia estava agendada para a noite desta quinta-feira, que poderia ratificar ou alterar a decisão da assembleia anterior que indicou a possibilidade de redução no atendimento dos médicos. O resultado será divulgado na manhã desta sexta-feira.

Para César Luz, ainda que não haja mudança nos planos dos profissionais em reduzir o atendimento, o hospital deverá apresentar um plano de contingência caso a paralisação se efetive. “Essa paralisação parcial, não atinge a área de urgência e emergência, mas precisamos ter uma discussão conjunta com eles para pensarmos em um plano de contingência em função dessa possibilidade. Caso se efetive o pagamento de outubro, aí acredito que essa possibilidade de paralisação fica definitivamente descartada”, concluiu.


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

%d blogueiros gostam disto: