Unileste realiza 1º Fórum Regional de Economia Criativa da RMVA

Divulgação

O evento é aberto ao público, mediante inscrição gratuita

Nesta sexta-feira (9), a partir das 13h30, o Teatro João Paulo II do Centro Universitário do Leste de Minas Gerais (Unileste), campus Coronel Fabriciano, recebe o 1º Fórum Regional de Economia Criativa da Região Metropolitana do Vale do Aço (RMVA). O evento é uma realização do curso de Arquitetura e Urbanismo da instituição, com apoio da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), entre outros parceiros. O objetivo é fomentar alternativas de trabalho e desenvolvimento para os futuros profissionais do Vale do Aço.

A programação contará com diversas palestras, com abertura às 13h30. O evento é aberto ao público, mediante inscrição gratuita pelo site. As vagas são limitadas à capacidade do espaço.

O coordenador do curso de Arquitetura e Urbanismo do centro universitário, Ricardo Augusto Crochet, informa que “a proposta é apresentar experiências sobre o estágio atual da indústria criativa em Minas Gerais e novas perspectivas para os profissionais de todas as áreas na RMVA, além de debater sobre a diversificação econômica da região, estruturada na siderurgia”, comenta. O evento é organizado por alunos da disciplina Práticas Profissionais, ministrada pelo professor Roberto Caldeira.

“Há algum tempo, o Brasil discute o conceito de economia criativa, refletindo o que já se disseminou em todo o mundo. Diferentemente dos setores tradicionais responsáveis pela balança comercial brasileira, a indústria criativa incorpora o conhecimento como forma de agregar valor econômico ao comércio de bens e serviços. Neste sentido, diversas áreas foram incorporadas por este setor, como arquitetura, moda, design, publicidade, tecnologia da informação, mídia, música, artes visuais e artesanato. Atento a este mercado, o curso de Arquitetura e Urbanismo do Unileste vem discutindo novas possibilidades profissionais e de trabalho, orientando os alunos para os diversos segmentos da economia criativa que possuem afinidade com a arquitetura e o urbanismo”, explica o coordenador Ricardo Crochet.

“O projeto Parque da Lagoa” será tema da palestra ministrada pelo docente Roberto Caldeira, idealizador do projeto que, segundo ele, “é o embrião de uma proposta que integra o poder público, a iniciativa privada e a universidade, com o objetivo de implantar em Coronel Fabriciano um polo tecnológico de alcance regional para incubação de empresas e aceleração de startups”, explica o professor do curso de Arquitetura e Urbanismo do Unileste.

Projeto Parque da Lagoa

De acordo com o docente Roberto Caldeira, “o projeto propõe integrar em um mesmo local os espaços necessários para o desenvolvimento das atividades humanas, como trabalho, moradia e lazer, aumentando a atratividade da proposta e garantindo a sustentabilidade do projeto”, explica o professor, acrescentando que “a viabilidade do projeto está relacionada com a articulação em rede de diversos órgãos, instituições e interessados, públicos ou privados, envolvidos no fomento ao desenvolvimento econômico, tecnológico e social, ao empreendedorismo e à inovação na Região Metropolitana do Vale do Aço”, finaliza.


Postado originalmente por: Diário do Aço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: