Alertas para quem tomou a Belorizontina

Foram encontradas, nas últimas semanas, duas substâncias químicas dentro de 3 lotes da cerveja Belorizontina, produzida pela Backer, em Belo Horizonte. Monoetilenoglicol e Dietilenoglicol são utilizadas na refrigeração de cervejas, mas não podem entrar em contato com o líquido pelos riscos à saúde do consumidor.

Especialistas contam que a tendência é que as substâncias, quando ingeridas, sejam quebradas pelo fígado e eliminadas pela urina. Porém, após 48 horas, os sintomas começam a aparecer, como mal-estar, dor abdominal, diarreia, dor lombar e uma redução significativa na produção de urina. A recomendação é procurar um médico de forma imediata.

De uma forma geral, esses ingredientes químicos apresentam indícios parecidos que fazem mal, como a insuficiência dos rins, mas o dietilenoglicol ainda paralisa os nervos do rosto, alterando principalmente a musculatura dos olhos.

O nefrologista Fabrício Augusto diz que os primeiros órgãos a serem atingidos são o fígados e os rins. Ele também esclarece a diferença entre ressaca, que a melhora do consumidor ocorre ao longo do dia, e intoxicação, os vômitos e as náuseas não tem melhora no mesmo dia.

Quanto maior a dose de ingestão da substância, maior será a chance dos efeitos colaterais aparecerem mais rápido e trazerem riscos à saúde.

Anexos para downloads:

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: