Sede da Fbac em Itaúna é inaugurada

TJMG doou verba de prestação pecuniária para oficinas profissionalizantes destinadas a detentos em Apacs

A Fraternidade Brasileira de Assistência aos Condenados (Fbac), entidade que assessora e fiscaliza as Associações de Proteção aos Condenados (Apacs), inaugurou sua nova sede administrativa na manhã desta quarta-feira, 11 de setembro, na cidade de Itaúna, em Minas Gerais.

Além de ter o papel de congregar e assessorar as Apacs no Brasil e as unidades que funcionam fora do país, a Fbac tem o compromisso de zelar pela metodologia apaqueana com orientação, assistência e fiscalização.

Estiveram presentes o juiz assessor da Presidência do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), Luiz Carlos Rezende e Santos, que foi homenageado na ocasião; o juiz da 1ª Vara Criminal, do Júri e de Execuções Penais da comarca de Itaúna, Adelmo Bragança de Queiroz; o presidente da Fbac, Tomás de Aquino; o diretor-executivo da Fbac, Valdeci Antônio Ferreira, entre outras autoridades.

Valdeci destacou que a construção da nova sede foi possível com a ajuda de diversas entidades, principalmente do TJMG, amigos e colaboradores. “Estamos inaugurando o Centro Internacional de Estudos do Método Apac. Teremos uma biblioteca física e virtual, espaço para acolher pesquisadores, uma plataforma de cursos online de capacitação, treinamento para recuperandos, voluntários, funcionários das Apacs”, disse.

“Também temos a alegria de inaugurar o Memorial Mário Otoboni, como justa homenagem àquele que foi o idealizador do método e fundador da primeira Apac, um projeto ousado e que tem resultados supreendentes”, comemorou Valdeci.

O juiz Luiz Carlos Rezende e Santos foi homenageado. “A gratidão é o sentimento que brota nesta hora do coração de todos os representantes das APACs e Fbac.Não há dúvidas de que esta é uma obra de Deus, que se vale de pessoas como o senhor para fazer crescer e florescer a vida nas prisões”, disse o inspetor de Metodologia da Fbac, Roberto Donizete.

“O trabalho da Fbac é a alma para continuidade do sonho de um sistema prisional humanizado como ocorre nas Apacs. Portanto, a construção de unidade física para a sede da Fbac e o Centro de Estudos sobre o método são estruturas que fortalecem o movimento que é encampado pelo Tribunal de Justiça desde 2001”, enfatizou o juiz.

Ele agradeceu a generosidade dos voluntários das Apacs e Fbacs. “Mas se alguém é agradecido pela convivência com eles sou eu, que me tornei não um juiz melhor pela convivência fraterna, mas um ser humano melhor e capaz de exercer atitudes simples, e quase imperceptíveis, em favor de pessoas que outrora estavam invisíveis para mim. Só ganhei com tudo isso.”

Estiveram ainda presentes, o juiz da Vara de Execuções Penais de Belo Horizonte, Marcelo Lucas Pereira; a diretora do Foro da Comarca de Itaúna, Sabrina da Cunha Peixoto Ladeira; a magistrada do Juizado Especial de Itaúna, Regina Célia Silva Neves.

Recurso de penas pecuniárias

No último dia 20 de agosto, o TJMG disponibilizou cerca de R$ 19 milhões para construção, ampliação, reforma, aquisição ou modernização de oficinas de trabalho profissionalizantes em unidades das Apacs em todo o estado de Minas. Tal recurso é proveniente de penas pecuniárias.

Ouça a entrevista com o diretor-executivo da Fbac, Valdeci Antônio Ferreira:

 

Fonte: TJMG 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: