Sete vereadores patenses podem ser cassados

O Ministério Público Eleitoral quer a cassação do mandato de sete vereadores de Patos de Minas. A acusação se refere a aprovação de leis que beneficiariam eleitores em ano de votação. O MP entende que os parlamentares desobedeceram a recomendação do órgão. A polêmica lei dos taxistas – que concede licença aos trabalhadores da área por 15 anos – é o alvo da denúncia levada para a justiça.

O problema é que esse serviço é feito por meio de licitação, mas os parlamentares decidiram dar um prazo de 15 anos para os que já estão trabalhando na área. O Ministério Público entendeu que essa “vantagem”, concedida aos taxistas, não poderia ser aprovada em hipótese alguma. Como a aprovação ocorreu em ano eleitoral, a coisa se tornou ainda pior para os vereadores.

Edimê Avelar, Itamar André, Tonhão da Copasa, Marquim das Bananas, Braz Paulo, Valdir Reis e David Balla, são citados na ação e podem ser cassados. A lei, orginalmente, contava com o apoio de 11 parlamentares, mas alguns desistiram de assinar a emenda de última hora. O MP pede a cassação do mantado e inelegibilidade por oito anos.

No texto da ação, a promotora Vanessa Dosualdo argumenta que os vereadores garantiram emprego e renda por 15 anos para os taxistas e, como era ano eleitoral, a pratica poderia configurar, de certa forma, compra de votos. Os envolvidos  negam e garante que vão a justiça comprovar inocência.

Portado originalmente em: http://clubenoticia.com.br/Noticia/index/1860

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: