Anuncie
Vale do Aço

Barranco na rua Amós assusta moradores que aguardam uma solução

Por: Diário do Aço 10/11/2017 17:32
Wôlmer Ezequiel

Rua Amós, no bairro Canaã, fica mais estreita ao longo do tempo por causa de barranco

As pessoas que transitam pela rua Amós, no bairro Canaã, em Ipatinga, conseguem reparar no barranco que existe ao lado da rua, o que é uma ameaça à segurança dos moradores, principalmente, em época de chuva. Segundo o entregador Ronan Rodrigues, que mora em uma residência de frente para o barranco, esse cenário da rua Amós é preocupante, porém, não é algo novo: “A situação aqui está muito complicada, apesar de eu morar aqui há um ano e meio, já tenho conhecimento sobre esse barranco há um bom tempo. Quando chove, nós moradores do prédio ficamos meio cismados do prédio descer. Teve até um vizinho que mudou para outra casa por causa disso”, afirma.

Ronan diz perceber que o barranco aumenta de tamanho ao longo dos anos, se aproximando cada vez mais de sua residência. “Com o tempo, o barranco só vai caindo. Quando mudei para cá, a rua tinha cerca de três metros e meio de largura, agora está com um metro. Os moradores já foram na prefeitura várias vezes e a resposta é sempre a mesma, falam que vão mexer aqui e nunca fazem nada”, destaca.

Wôlmer Ezequiel

Ronan Rodrigues confessou que tem medo da sua residência se desmoronar em época de huva

O entregador acrescenta que a rua já foi até interditada, mas mesmo assim, continuam passando com carros e motocicletas. “Direto tem moto passando aqui em alta velocidade, correndo risco de cair no barranco. Além disso, aqui é uma área onde passa muita criança e adolescente”, conta.

A dona de casa, Michele do Carmo, também confessa que fica com medo quando andando pela rua e depara com um veículo. “É muito perigoso. Às vezes estou passando com criança e vem uma moto no sentindo contrário, temos que correr para um dos lados, já que a rua é bem estreita. Então fico com muito medo de cair no barranco. No período de chuva dá mais medo ainda”, ressalta.

Wôlmer Ezequiel

José Geraldo fica aborrecido com a situação da rua

Já o pedreiro, José Geraldo Fernandes, que mora no bairro há 46 anos, disse que essa situação da rua Amós irá completar sete anos. “Tem muito tempo que isso está desse jeito. Fico muito aborrecido e indignado, porque entra dinheiro na prefeitura, agora só Deus sabe onde estão o colocando. Além disso, o povo joga lixo no barranco, outro dia tinha um tanto de gato morto. Isso é falta de respeito com a população, porque pagamos os nossos impostos, não merecemos passar por isso”, salienta.

Resposta

Por meio de uma nota enviada ao Diário do Aço a Secretaria Municipal de Obras (Semop) informa que vai enviar um técnico ao local, para fazer uma avaliação e levantar o histórico da situação da rua Amós.



Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br