Anuncie
Vale do Aço

Melhores doces de Minas em uma mesma feira, em Ipatinga

Por: Diário do Aço 17/11/2017 6:32
Divulgação

A Goiabada de São Bartolomeu (distrito de Ouro Preto) é feita exatamente como séculos atrás

O estado de Minas Gerais é reconhecido nacionalmente pelo tradicional sabor dos seus doces que são diversos e regionalizados. Neste sábado (18), na Praça Daniel Campos Rabelo, no bairro Cariru, em Ipatinga, das 14h às 20h, a Feira do Doce Mineiro oferece a oportunidade única de reunir os melhores produtos de oito cidades mineiras com tradição consolidada na fabricação de doces refinados, saudáveis e deliciosos.

Com entrada gratuita, o evento permite a degustação de um variado estoque de produtos gastronômicos, que também estarão disponíveis para venda.

A Feira do Doce Mineiro, realizada pela Casa Cult Darci Di Mônaco e Grupo Cleyde Yáconis, pretende valorizar a
culinária tradicional mineira. Além da degustação dos doces selecionados, o público poderá observar dois chefs mineiros preparando pratos especiais ao vivo.

Às 15h, o chef Loraidan dos Anjos, de Ipatinga, preparará o seu Lombinho de Moleque, com Lombo de Cordeiro com Crosta de Pé de Moleque e acompanhado de Purê de Inhame. Por fim, às 17h, o Chef João Salles, de Belo Horizonte, utilizará Miolo de Acém ao Molho de Jabuticaba com angu molinho e carambola caramelizada com Vinagre de Jabuticaba para criar o prato Boi na Jabuticaba. Também haverá música ao vivo com a Banda Brasil Tropical e convidados.

A Ambrosia e a Ameixa de Queijo de Araxá são apenas dois exemplos de doces que fazem dessa cidade do Triângulo Mineiro o paraíso dos doces

Para preparar a Feira do Doce Mineiro, projeto patrocinado pela Cemig, com financiamento pela Lei Estadual de Incentivo à Cultura, uma equipe de pesquisador e jornalistas circularam por várias cidades de Minas Gerais selecionando os melhores doces; uma vez definida a seleção, foi a vez de levantar a história de cada doce e registrar os produtos em imagem e audiovisual para a confecção de um livro de receitas e videodocumentário que serão publicados ao término do projeto, contendo entrevistas com doceiros e produtores.

Os doces e suas histórias

“O que mais nos chamou a atenção nesse processo de pesquisa foi a diversidade de doces encontrados e a regionalização dos tipos de produtos. Por isso, associamos cada doce ao nome da cidade de origem” explica Isabella Ribeiro, coordenadora geral da Casa Cult.

A Bananada de Antônio Dias combina o sabor da fruta com o contraste do amendoim. A doçura é na medida. Os doces de jabuticaba de Sabará são muitos e versáteis; incluindo casquinhas cristalizadas, a famosa geleia e vinhos e cachaça artesanal feitos a partir da fruta.


Os doces de jabuticaba de Sabará são muitos e versáteis; incluindo casquinhas cristalizadas, a famosa geleia e vinhos e cachaça artesanal

O Doce de Leite produzido pela Universidade Federal de Viçosa acrescentou à essa tradicional receita mineira a pesquisa e a tecnologia que garantem alto controle de qualidade e de padrões sanitários sem perder as características do doce caseiro, doçura e textura delicadas. O rocambole de Lagoa Dourada atrai multidões curiosas e ávidas por experimentar um doce que remonta aos costumes das mais tradicionais famílias locais.

A Goiabada de São Bartolomeu (distrito de Ouro Preto) é feita exatamente como séculos atrás, utilizando tacho de cobre em forno à lenha aberto no chão, e embalado em folha de bananeira, com pedaços da casca que enriquecem ainda mais a textura quase cremosa dessa delícia mineira.

O Pé-de-Moleque de Piranguinho é o orgulho da cidade de 8 mil habitantes no Sul de Minas, que possui um doce que é registrado como Patrimônio Cultural Imaterial do Estado de Minas Gerais, uma “pura joia mineira”, conforme escreveu o poeta Carlos Drummond de Andrade elogiando a famosa iguaria feita de amendoim.


Os Doces Cristalizados de Carmópolis de Minas preserva os modos de fazer tradicionais

Os Doces Cristalizados de Carmópolis de Minas tem tamanhos e cores variadas mas preserva os modos de fazer tradicionais, combinando os sabores naturais das frutas ou legumes, como o figo com nozes ou os quadradinhos de abóbora com uma fina crosta açucarada protegendo um doce cremoso dos mais refinados.

A Ambrosia e a Ameixa de Queijo de Araxá são apenas dois exemplos de doces que fazem dessa cidade do Triângulo Mineiro o paraíso dos doces, alguns deles com mais de 200 anos de tradição familiar. A Ameixa de Queijo é doce raro feito a partir de uma massa de queijo que pode ser consumido em calda ou cristalizado. A Ambrosia tem um toque cítrico especial contrastando com a doçura da iguaria. As raspas de frutas utilizadas para dar acidez à Ambrosia também são consumidos e têm um sabor único.

Por fim, o Doce de Abóbora com Coco de Poços de Caldas já foi premiado em festivais gastronômicos como um dos melhores do Brasil. Todo ano, os produtores realizam ainda um grande festival em que é confeccionado o maior doce de abóbora do país. O próximo passo é conquistar uma vaga no Livro Guiness dos Recordes como o maior do mundo, preservando os processos artesanais da tradicional cultura rural mineira. De Ipatinga, participará do evento um queijo produzido na zona rural de Ipaneminha.


O rocambole de Lagoa Dourada atrai multidões à cidade dos Campos das Vertentes

Tradição

Os doces fazem parte do imaginário de Minas Gerais, especialmente vinculados à tradição colonial e rural do Estado, frequentemente associado a um produto feito pelas vovós artesanalmente. O desafio para a Casa Cult foi manter essa característica e ao mesmo tempo permitir que esses produtos sejam transportados, degustados e comercializados, de modo a garantir a sua preservação e divulgação para todo o estado.

Nesse sentido, foi muito importante a participação do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) como parceiro, fornecendo consultorias gratuitas aos produtores e na divulgação dos produtos. Segundo Isabella Ribeiro, “a parceria do Sebrae é fundamental na capacitação dos produtores visando o desenvolvimento de negócio, corrigindo processos produtivos, de marketing e de comercialização”, concluiu.

A Feira do Doce Mineiro será realizada também em Belo Horizonte. A Casa Cult Darci Di Mônaco, espaço cultural criado pelo Grupo Cleyde Yáconis em 2013 para homenagear o pioneiro do teatro ipatinguense. Entre as várias atividades desenvolvidas estão atividades de lazer e entretenimento e produção de eventos artísticos e culturais, incluindo a valorização da gastronomia mineira.


A Bananada de Antônio Dias combina o sabor da fruta com o contraste do amendoim

O Pé-de-Moleque de Piranguinho é o orgulho da cidade de 8 mil habitantes no Sul de Minas, registrado como Patrimônio Cultural Imaterial do Estado de Minas Gerais, uma “pura joia mineira”, conforme escreveu o poeta Carlos Drummond de Andrade

[imagem17507]



Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br