Anuncie
Vale do Aço

Primeira reunião de Revisão do PPAG será realizada em Governador Valadares

Por: Diário do Aço 10/10/2017 17:32
Divulgação

A ALMG inicia os encontros na quarta-feira (18), reunindo representantes dos vales do Rio Doce e do Aço, em Governador Valadares

Cidadãos mineiros interessados em aprimorar o planejamento estadual já podem se inscrever para a Discussão Participativa do Plano Plurianual de Ação Governamental (PPAG) 2016-2019 – Revisão para 2018. A Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) inicia os encontros na quarta-feira (18), reunindo representantes dos vales do Rio Doce e do Aço, em Governador Valadares. O palco para o evento será a Universidade Vale do Rio Doce (Univale), no Auditório do Campus Armando Vieira Cabral – Campus I (Rua Juiz de Paz José Lemos, 695, Vila Bretas).

O PPAG organiza os programas e ações que o governo pretende desenvolver no período de quatro anos. Ele traz metas físicas e orçamentárias e as regiões a serem beneficiadas. E, por ser um plano de médio prazo, passa por revisões anuais que buscam torná-lo compatível com a Lei Orçamentária Anual. A ALMG tem por tradição fazer essa revisão do PPAG de forma participativa, com escuta à sociedade, que pode até sugerir mudanças nos programas e na destinação dos recursos. A dinâmica das reuniões prevê contribuições formuladas coletivamente, em grupos de trabalho. E mesmo quem não mora nesses territórios pode participar.

O prazo para inscrições on-line termina na próxima segunda-feira (16), mas é possível se inscrever pessoalmente no dia do evento. A abertura da reunião está prevista para as 9h, após credenciamento, e encerramento às 18h. Ao longo do dia, um painel de contextualização será seguido de debates e de grupos de trabalho.

O PPAG tem cinco eixos finalísticos: Desenvolvimento produtivo, científico e tecnológico; Educação e cultura; Infraestrutura e logística; Saúde e proteção social; e Segurança pública. No interior, o debate está focado nos temas Águas e Agricultura familiar. Eles foram escolhidos por sua relevância para as regiões Norte, Nordeste e Leste do Estado, que têm o maior número de famílias do campo socialmente vulneráveis e com dificuldades de acesso a programas de fortalecimento da agricultura familiar.

No território do Rio Doce, 44,6% da população têm renda mensal per capita igual ou inferior a 1/4 de salário mínimo, sendo considerados indigentes. No Mucuri, esse número chega a 53,9% e sobe para 62% no Médio e Baixo Jequitinhonha. Outro dado relevante para essas áreas é o índice de mortalidade infantil no primeiro ano de vida, que, no Rio Doce, é de 15,1 para cada mil crianças nascidas vivas, mas no vizinho Vale do Aço, cai para 10,6, segundo dados de 2013. Nas outras regiões, oscila entre 18,3 no Alto Jequitinhonha e 14,9 no Norte, contra a média estadual de 12,2.



Postado originalmente por: Diário do Aço

Veja também
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: