28 Congresso
Vale do Aço

Seca no rio Guanhães prejudica geração de energia na usina de Salto Grande

Por: Diário do Aço 17/10/2017 17:32

O rio Guanhães, que desagua no rio Santo Antônio, integrante da Bacia do Rio Doce, apresenta um cenário desolador. A seca na bacia do Guanhães já é considerada uma das piores dos últimos dez anos e já prejudica a geração de energia na Usina Hidrelétrica de Salto Grande, inaugurada em 1956. Há sete meses não ocorre nenhuma chuva significativa na região. Os efeitos da estiagem no rio podem ser percebidos nas imagens enviadas ao Diário do Aço pelo fotógrafo Nilson Lages. Em uma delas, a seca está em primeiro plano e, no segundo, no alto de uma serra, o fogo de mais um incêndio criminoso queima a vegetação.

Conforme dados informados ao Diário do Aço pelo meteorologista da Cemig, Arthur Chaves de Paiva Neto, a última chuva significativa na região do rio Guanhães (acima de 5 milímetros), ocorreu no dia 13 de março de 2017, quando foram registrados 28 mm de precipitação. De lá para cá só foram registradas chuvas abaixo de 5 mm. “Portanto, hoje (17/10) completou 187 dias com chuva de baixo volume na área do Guanhães”, esclarece.

Em relação à quantidade disponível, o meteorologista informa que o funcionamento da Usina Hidrelétrica de Salto Grande opera em geração minimizada, gerando 15 MW de energia elétrica.

Em uma avaliação da média histórica a vazão afluente (quantidade de água que chega ao reservatório) verificada até agora, em outubro, equivale a 15% do que normalmente passa pelo rio nessa época do ano.

Por fim, Arthur Chaves avalia que a estiagem na bacia do rio Guanhães é uma das piores dos últimos 10 anos, mas não é inédita. Em 2015, a seca gerou uma redução significativa no volume de água do rio Guanhães.



Postado originalmente por: Diário do Aço

Veja também
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: