Consumidores precisam ficar atentos ao desperdício de energia elétrica

O balanço divulgado recentemente pela Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Conservação de Energia (Abesco), mostra que, nos últimos três anos, mais de 140 mil gigawatts-hora (GWh), foram desperdiçados, energia suficiente para abastecer uma cidade com cerca de 500 mil pessoas. Somente no ano passado, o estado de Minas Gerais desperdiçou mais de 5 mil GWh de energia, representando perda de R$2,4 bilhões, que poderiam ser destinados para outras áreas.

O resultado aponta que o desperdício de energia elétrica é o principal fator que encarece a conta de energia e nesta época do ano, a tendência é de aumentar. “Geralmente, no inverno, ficamos mais tempo no banho e o chuveiro elétrico é o grande ‘vilão’ de consumo de energia em uma residência. Estudos comprovam que sete minutos são suficientes para tomar um banho adequado e evitar o desperdício. É preciso ficar atento a duração do banho”, explicou o técnico do Sistema Elétrico da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), Marco Aurélio da Silva.

O técnico da Cemig reforçou, ainda, que a eletricidade consumida por aparelhos eletrônicos no modo standby pode representar um acréscimo de até 15% na conta de energia elétrica. No entanto, o consumidor tem a chance de evitar o desperdício com uma pequena mudança de hábito. “Desligar os equipamentos elétricos da tomada quando eles não estiverem sendo utilizados, os receptores de TV por assinatura, os computadores e televisão, entre outros, certamente, apresenta grande economia na fatura do fim do mês”, alertou.

“Outra situação a ser observada é o uso do celular quando ele esta sendo carregado. Um estudo comprova que se 10% da população mundial retirasse o aparelho da tomada quando ele indica bateria cheia, poderíamos abastecer uma cidade de 60 mil habitantes, durante um ano. É uma redução significativa no consumo, que perceberemos a partir das pequenas mudanças no comportamento”, completou.

Silva ratificou, também, que em uma residência, chuveiro, ferro, forno elétricos e até mesmo a máquina de lavar, são os equipamentos que mais consomem, e as pessoas devem ficar atentas e se possível, utilizar equipamentos mais novos. “Hoje em dia, temos uma eficiência muito grande nos equipamentos novos, pois, eles são mais econômicos. Os consumidores devem preferir equipamentos com Selo Procel, pois são mais eficientes”, orientou.

Outra dica é a substituição de todas as lâmpadas incandescentes por lâmpadas de LED. “Elas são mais eficientes e podem promover uma redução de consumo, de 80% a mais que uma lâmpada incandescente”, finalizou.

Postado originalmente por: Diario Regional – Juiz de Fora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: