Anuncie
Juiz de Fora e Região

LIRAa deve aumentar com a chegada das chuvas

Por: Diário Regional 09/11/2017 6:37

O Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) realizado no mês de outubro apontou índice de 0,7%. O levantamento foi realizado pela Secretaria de Saúde (SS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) nos 208 bairros da cidade, entre os dias 16 e 20, quando 155 agentes de combate às endemias visitaram 5.593 imóveis.

Para a SS o resultado é satisfatório e o percentual é considerado o mais baixo com relação aos meses de outubro dos últimos três anos. Em 2015, foi 2,5%, e em 2016, 1,6%. Entretanto, por ter sido levantado em período de estiagem, ele não evidencia a futura realidade do município, e, com o início da temporada de chuvas, pode se agravar nos próximos meses. “Com início das chuvas é essencial que a população tenha a consciência e adote medidas preventivas. A pesquisa constatou que 88% dos focos estão dentro das casas, por isso é importante que todos façam sua parte e vistoriem a residência”, reforça a gerente do Departamento de Vigilância Epidemiológica, Michele Freitas.

A região Norte da cidade continua sendo a região com maior índice de infestação, seguida de Leste e Sul. Os bairros que apresentaram maior quantidade de focos positivos são Alto Santo Antônio, Bairu, Filgueiras, Grama, Santa Cruz, Santos Dumont e São Mateus, com dois focos cada.

Ainda segundo a gerente do Departamento, a PJF tem desenvolvido ações de prevenção, através de visitas em domicílios, empresas e escolas, por meio da Equipe de Educação em Saúde, além do projeto “Aedes do Bem”, ferramenta de combate à doença adotada pela Prefeitura. “A liberação dos mosquitos geneticamente modificados está prevista para este mês. Os bairros Santa Luzia, Vila Olavo Costa e Monte Castelo serão os primeiros a serem contemplados, em razão dos índices apontados pelos indicadores epidemiológicos”, explica Michele, acrescentando que a iniciativa visa à redução da população do Aedes aegypti selvagem, evitando as chances de uma epidemia.

A estudante Ana Flavia Fernandes, 24 anos, diariamente elimina os possíveis focos dos mosquitos dentro de casa. “A gente tenta tomar o máximo de cuidados possíveis, não deixa recipiente com água, vistoria os pontos da casa, e até mesmo na hora da faxina, a gente evita deixar balde com água ou pano de molho por muito tempo, tudo para evitar os focos e ficar doente”, destaca.

Postado originalmente por: Diario Regional – Juiz de Fora

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: