Moradores da Região Sudeste reivindicam alternativas no trânsito em caso de acidentes que interditem a BR-267

Os moradores dos bairros Floresta, Jardim Esperança, Sarandira, Caete, Retiro, Terras Altas, Usina Quatro, Granjas Bethel, dentre outros, ficaram sem ter como sair e entrar nos bairros na manhã dessa quinta-feira, 3, devido a um acidente que ocorreu na BR- 267, principal via de acesso para os locais.

De acordo com os presidentes das associações de moradores desses bairros, a situação se repete sempre que ocorre algum acidente nesse trecho da rodovia, impossibilitando-os de utilizar o transporte público para ir estudar e trabalhar. O problema acontece porque os ônibus urbanos são proibidos de passar pelo bairro Santo Antônio, segundo determinação da Secretaria de Transporte e Trânsito (Settra). As associações dos bairros e os moradores reivindicam a permissão para que os coletivos urbanos possam passar pelo bairro, pelo menos quando ocorrer algum acidente na região.

Segundo informações do presidente da Associação de Moradores do bairro Jardim Esperança, Cledmar Rodrigues Pereira, uma alternativa seria os coletivos passarem pelo bairro Terras Altas, onde existem menos morro, garantindo a segurança na passagem dos coletivos. “Estamos questionando porque a Settra não libera essa rota quando acontecem acidentes na BR-267, pois os moradores do bairro ficam sem se locomover e tem que gastar com outros tipos de transporte para irem para o trabalho. Como nem todos conseguem, muitos ficam sem trabalhar e estudar”, reivindica Pereira.

O presidente da associação do bairro Retiro, José Adriano da Silva, também demonstrou indignação com o ocorrido e deseja promover um debate com a Settra para solucionar o problema, que, segundo ele, pode voltar a ocorrer. “A indignação maior é porque os ônibus de viagem passam por dentro do bairro Santo Antônio e os urbanos não podem. A nossa primeira reivindicação era a instalação do radar e fomos atendidos. Agora queremos uma alternativa de rota para os coletivos no caso de acontecer acidentes interditando a BR-267. Queremos uma medida para o futuro, caso aconteça um novo acidente”, reivindica Silva.

Por meio de nota, a Settra informou que o desvio pela Alameda Ilva de Melo Reis, de acordo com laudo técnico da Defesa Civil, não pode ser feito, pois oferece riscos de segurança para o trânsito do transporte coletivo. A passagem pelo Terras Altas também oferece riscos. A Secretaria ressaltou, ainda, que já está buscando uma solução alternativa para a situação e será realizada uma reunião com os demais órgãos envolvidos no caso, visando sempre a segurança dos usuários. Uma das opções seria a realização do transbordo dos passageiros, que, no caso específico do acidente com a carreta que transportava etanol, para realizar a manobra a Settra teve que aguardar a liberação do Corpo de Bombeiros.

Postado originalmente por: Diario Regional – Juiz de Fora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: