PJF e 38 municípios promovem ação integrada a favor da sustentabilidade

A implantação do projeto regional de plantio da palmeira nativa Macaúba em áreas degradadas esteve em pauta na manhã dessa segunda-feira, 5, durante solenidade no Parque da Lajinha. O prefeito Bruno Siqueira (PMDB) e outros 38 municípios da Zona da Mata assinaram o protocolo de intenções do “Projeto Macaúba”. O ato, que aconteceu no dia em que se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente, contou ainda com a presença de deputados federais, vereadores, representantes de universidades federais e das empresas Emater e Embrapa.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, João de Matos Neto, salientou que o evento marca um grande avanço no processo de desenvolvimento sustentável e colaborativo entre os municípios da Zona da Mata, do Campo das Vertentes e do Sul de Minas. “A realização do plantio da Macaúba e outras culturas nativas poderá auxiliar na recuperação de áreas degradadas a partir da implantação de sistemas de lavoura, pecuária e floresta”.

Matos ressaltou ainda que o potencial de sustentabilidade da palmeira pode ser observado em sua cadeia produtiva. “Ela tem grande potencial de adaptabilidade na região.Temos uma vasta extensão territorial que pode ser utilizada nesta iniciativa. Nesse sentido, há possibilidade de que a Zona da Mata, com seus grandes centros consumidores, desperte o interesse de fundos nacionais e internacionais em financiar projetos. Este é um importante passo para transformar grandes extensões territoriais, que configuram verdadeiros vazios econômicos, em áreas prósperas”, finalizou.

RIO PARAIBUNA

“A intenção é levar esse projeto para diversas cidades da nossa região”, disse o prefeito Bruno Siqueira, ressaltando que, como parte das ações em defesa da preservação ambiental, a Prefeitura irá inaugurar ainda no segundo semestre deste ano uma etapa do projeto de despoluição do Rio Paraibuna, cuja execução vem sendo realizada desde 2013. “Estamos investindo mais de R$100 milhões nesta obra com recursos federais e também do fundo perdido. Ao despoluir o rio, os córregos de todo o município também serão beneficiados”, disse Siqueira.

TOMÓGRAFO

Para ajudar nas vistorias dos engenheiros florestais com o fornecimento de diagnósticos mais precisos, a PJF adquiriu um tomógrafo para árvores da cidade. O aparelho, acoplado ao redor do tronco com nove sensores e conectado a um notebook, é capaz de traçar uma espécie de raio-x que identifica se há risco de queda, entre outros problemas estruturais da árvore. 

“Nós recebemos cerca de 90 solicitações de vistorias por mês. Com o uso do aparelho, o trabalho tende a ser otimizado”, avaliou o secretário de Meio Ambiente, Luís Cláudio Santos, acrescentado que também será realizada no município uma expansão da cobertura vegetal na cidade. “Teremos novos bairros com áreas verdes e começaremos a trabalhar primeiro na zona Norte e nos bairros Granbery e Santa Luzia”.

Em relação ao processo de preservação, o secretário destacou que a Macaúba permite a penetração da água no lençol freático, gerando não apenas ganho ambiental, mas agregando valor para o produtor rural.

Postado originalmente por: Diario Regional – Juiz de Fora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: