População reivindica mais segurança no Morro da Glória

Moradores e pessoas que circulam nas imediações do Morro da Glória, região central, estão reivindicando mais segurança para o local. As reclamações são referentes ao alto índice de violência envolvendo roubos, furtos e torturas psicológicas e físicas, além do tráfico de drogas presente na região.

Na terça-feira, 23, uma jovem de 23 anos, estudante do curso de Direito de uma instituição localizada na Avenida dos Andradas, foi agredida por duas meninas e teve seu aparelho celular roubado, quando se deslocava pela Rua Paula Lima. “Estava indo para a faculdade, por volta de 18h50, quando fui abordada por duas meninas, sendo que uma delas puxou meu cabelo e me jogou ao chão, dizendo: ‘isso é pra você aprender a andar com meu marido’. Enquanto era agredida, a outra mulher roubou meu celular. Na hora, as pessoas ao redor ficaram só olhando, assim como os veículos da proximidade. Acho que eles não reagiram, pois ficaram com medo, principalmente, pelo argumento utilizado pelas meninas”, relatou a vítima.

Após o ato, a jovem se dirigiu até a delegacia e registrou ocorrência. “Talvez, se aquela região tivesse o reforço do policiamento, certamente, teria inibido a ação das meninas. Por ser uma área muita vaga e de pouca iluminação, facilita a ação de criminosos”, acrescentou.

Devido a esse e outros casos associados a algum tipo de violência, moradores do bairro criaram um abaixo-assinado online, no intuito de mobilizar e chamar atenção das autoridades. Entre as reclamações, está o fato de a região contemplar escolas e faculdades. “Infelizmente, os criminosos tiram proveito por possuir diversas instituições educacionais nas proximidades. Eles roubam celulares, dinheiro, abordando jovens, mulheres e idosos. Quando os homens de um porte físico maior que o deles passa, eles não roubam”, comentou o empresário André Ribeiro, que reside no local.

Ribeiro, que mora no bairro desde quando nasceu, há 46 anos, alertou que o problema vem se agravando nos últimos anos. “Tenho notado aumento nos casos de violência, no tráfico de drogas. Os horários de saída e entrada de pessoas em escolas e faculdades e das escolas, e especialmente, na parte da noite, quando a Avenida dos Andradas fica bem escura, eles atacam mais”, alertou o morador.

FALTA DE DENÚNCIAS CONTRIBUI PARA INCIDÊNCIA DOS CRIMES

O morador observa que a culpa não é totalmente da polícia, porém, é necessária maior presença dos militares. “Os policiais realizam um bom trabalho, no entanto, é periódico. Às vezes eles ficam um tempo e demoram a aparecer”, lembrou. “Muitas vezes, a pessoa que é abordada não faz boletim de ocorrência. Então, a gente acaba entrando em um índice de criminalidade até tranquilo, o que não condiz com a realidade. Se a população denunciasse mais, chamaria a atenção das autoridades. Não adianta só colocar nas redes sociais, é preciso registrar o ato na polícia”, finalizou.

Os interessados podem assinar o manifesto através do link: https://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/36169#inicio. Conforme o texto, uma cópia com as assinaturas será entregue a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) e outra para à Polícia Militar, especialmente para alertar a Companhia responsável pela segurança do bairro.

Postado originalmente por: Diario Regional – Juiz de Fora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: