Ação conjunta interdita clínica de reabilitação e resgata 63 pessoas em Elói Mendes

Clínica já havia sido interditada pela Vigilância Sanitária em abril deste ano

O Ministério Público em conjunto com a Polícia Civil, Polícia Militar e Vigilância Sanitária interditou uma clínica de reabilitação em Elói Mendes, no Sul de Minas, e resgatou 63 pessoas, sendo 41 internos com Covid-19.

O agente fiscal da Prefeitura da cidade, Maicon Novaes, informou que a clínica é particular e já tinha apresentado irregularidades desde 2020, após uma denúncia de maus-tratos.

Além disso, em abril deste ano, o local foi interditado pela Vigilância Sanitária e, em seguida, interditado judicialmente, visto que os proprietários não acataram a retirada dos internos.

De acordo com a PC, a ação identificou pacientes trancados em um cômodo, quartos com celas e grades, pessoas que estavam sendo mantidas na clínica contra suas vontades, idosos que já estavam há anos no centro, além de pessoas com deficiência que viviam isoladas em péssimas condições.

Foto: divulgação/PCMG

A maioria dos pacientes diagnosticados com Covid-19 estavam assintomáticos. Conforme o MP, a clínica não tinha equipe técnica, alvará de funcionamento, laudo do Corpo de Bombeiros, entre outros requisitos básicos para funcionamento.

Os pacientes foram encaminhados para as suas cidades de origem pela Assistência Social de Elói Mendes. Na clínica, “havia pessoas de Elói Mendes, Varginha, Poços de Caldas, Caldas, Congonhal, Divinópolis, Campo Belo, Belo Horizonte e São Paulo.”

Foto Ilustrativa: Pixabay

criança

Anexos para downloads:

%d blogueiros gostam disto: