Epilepsia: cirurgia inovadora chega a Uberlândia

Mantendo a trajetória de pioneirismo, o Santa Genoveva Complexo Hospitalar é o primeiro hospital da cidade a realizar cirurgia capaz de controlar as crises epiléticas

Confusão mental, movimentos bruscos e incontroláveis dos braços e pernas, tremores, rigidez, contrações involuntárias dos músculos e perda da consciência, podem ser sintomas de uma doença neurológica do sistema nervoso central, que pode ocorrer com qualquer pessoa e em qualquer idade: a epilepsia.

Alinhando-se às mais importantes tecnologias mundiais da medicina, 18 de junho, a primeira cirurgia para implantação de eletrodo para estimulação do nervo vago, de Uberlândia. O procedimento foi realizado no Santa Genoveva Complexo Hospitalar, em um paciente de cinco anos.

Segundo o neurocirurgião do Santa Genoveva Complexo Hospitalar, Rodrigo Bueno, esse tipo de cirurgia consiste no implante de um eletrodo para estimulação de um nervo cervical chamado de nervo vago. “Ela deve ser considerada em casos de pacientes com epilepsia de difícil controle com as medicações. Com o implante do eletrodo conseguimos acalmar as regiões cerebrais hiperativas relacionadas às crises epiléticas”, explica.

 O que é epilepsia?

A epilepsia é uma doença neurológica do sistema nervoso central, que pode afetar igualmente homens e mulheres. Ela atinge cerca de 1% da população do Brasil. Ou seja, um em cada 100 brasileiros tem epilepsia.

 Esperança no tratamento

“É importante ressaltar que esta é uma dentre várias opções de tratamento. Existem cirurgias mais invasivas, em que se realiza a desconexão dos hemisférios cerebrais ou a retirada da região cerebral diretamente relacionadas com as crises epilépticas. A que fizemos é a de estimulação do nervo vago, uma alternativa minimamente invasiva para auxiliar no controle da doença”, reforça.

O médico esclarece que essa é uma opção apenas para aqueles que não estão tendo uma boa resposta ao tratamento medicamentoso otimizado. “Não é um procedimento que tem a capacidade de curar a doença. A esperança com esse tipo de cirurgia é melhorar o controle das crises epiléticas, reduzindo a quantidade de medicação utilizada e, assim, propiciar uma melhora na qualidade de vida. Ela pode ser considerada como opção para todos os pacientes com crises epiléticas, sem controle medicamentoso, a partir dos 4 anos de idade”, afirma o neurocirurgião Rodrigo Bueno.

 O procedimento

O Santa Genoveva Complexo Hospitalar é o primeiro a realizar esse tipo de cirurgia em Uberlândia. A cirurgia para implante de eletrodo para estimulação do nervo vago é considerada um procedimento minimamente invasivo, com duração média de duas horas. O paciente fica, habitualmente, internado nas primeiras 24 horas. O aparelho é ligado após duas semanas de implante.

  O Complexo Hospitalar

Com mais de quatro décadas de história, o Santa Genoveva Complexo Hospitalar segue investindo em inovação para responder às demandas das novas gerações, promovendo a saúde, em amplo sentido, e mantendo a tradição de pioneirismo preservada desde a fundação, em 1975.

O hospital, que sempre se destacou como pioneiro, conta com um corpo clínico que trabalha com excelência em todas as áreas da medicina e com uma preocupação ímpar com o bem-estar do paciente.

Por: Ana Carolina Amorim | Prelo Comunicação

Foto Ilustrativa: Pixabay

menino

%d blogueiros gostam disto: