Onze pessoas são presas por esquema de corrupção no Detran de Uberlândia

As investigações identificaram um esquema de propina estabelecido entre o Detran e motoristas 

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), prendeu onze pessoas durante Operação “Café Amargo”, deflagrada em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, nessa quinta-feira (15).

A ação, que contou também com a participação da Polícia Civil e da corregedoria da Instituição, cumpriu 24 mandados de busca e apreensão, sendo dois em Catalão, em Goiás.

As investigações tiveram início há cerca de um ano, com o objetivo de combater um esquema de corrupção no Detran da cidade que envolvia policiais civis, funcionários do cartório de notas e despachantes.

Desta forma, foi descoberto um esquema de propina estabelecido entre o Detran de Uberlândia e motoristas, que pagavam um valor acordado com agentes públicos para conseguir a aprovação em vistorias.

Os funcionários do Cartório de Notas eram os responsáveis por agilizar o reconhecimento de firma, sem a presença do motorista.

Ao todo, a operação teve a participação de quatro promotores de Justiça, sete servidores do MP, 75 policiais militares de Minas e oito de Goiás e 35 policiais da Corregedoria da PC.

De acordo com a PC, as investigações, que correm em segredo de Justiça, continuam e os suspeitos devem ser ouvidos na próxima semana.

Foto: divulgação/MPMG

corrupção Detran Uberlândia

Anexos para downloads:

%d blogueiros gostam disto: