Banco de leite de SJDR está em déficit

No mês dedicado a campanhas de incentivo à amamentação, Agosto Dourado, São João del-Rei registra dados preocupantes no Banco de Leite da Santa Casa de Misericórdia e o único da região. Os números de doadoras são baixos e, consequentemente, está faltando o principal alimento dos recém-nascidos que se encontram na UTI Neonatal, o leite materno.

Banco de leite está buscando doadoras para conseguir suprir a necessidade dos recém nascidos da Santa Casa da Misericórdia - Foto: Arquivo Gazeta

Banco de leite está buscando doadoras para conseguir suprir a necessidade dos recém nascidos da Santa Casa da Misericórdia – Foto: Arquivo Gazeta

Segundo a enfermeira coordenadora da UTI Neonatal, Marcela Santos, há atualmente cadastradas no banco apenas cinco mulheres. “Nosso estoque está muito baixo, a gente na maioria das vezes conta é com a doação das próprias mães daqui de dentro, que tem os bebezinhos internados. Acredito que esta pouca procura está relacionada ao índice de amamentação da cidade que é muito pequeno”, frisa.

A UTI Neonatal, atualmente está funcionando em sua capacidade máxima de internações, dez recém-nascidos. Marcela conta que, com o número insuficiente de doações, os profissionais estão tendo que manter a alimentação das crianças, através de leites em fórmula o que não é o indicado. “O ideal aqui para o Banco é que tivesse um litro de leite por dia para suprir a amamentação dos nenéns, mas nós não estamos conseguindo esta quantidade nem para um mês inteiro”, destaca.

Doações
Para doar, a mamãe precisa ir uma única vez à Santa Casa e se dirigir ao Posto de Coleta de Leite Humano portando o Cartão da Gestante e exames de sangue realizados durante o pré-natal. No setor será feito um cadastro e, em seguida, serão dadas todas as instruções à doadora para que possa retirar o leite no conforto de casa, com kit, também cedido gratuitamente. “Os exames apresentados têm que ser recentes, nós aceitamos até o prazo de seis meses. E uma vez na semana a gente vai até a casa da mulher para pegar os vidros com o leite doado”, acrescenta a enfermeira.

Importância da amamentação
“A gente que lida com os recém-nascidos 24 horas por dia, vemos a necessidade e a importância do aleitamento materno. O leite salva vidas, ele vai fazer com que a criança adquira toda a imunidade que a mãe tem e que ela cresça sem doenças. Nós aqui da UTI Neonatal vemos o quão importante o leite materno é para os recém-nascidos, alguns ainda bem prematuros, fazendo com que eles se desenvolvam mais depressa para receberem alta”, destaca a enfermeira coordenadora Marcela Santos.

Além disso, a Organização Mundial da Saúde orienta que crianças de até seis meses de idade devem se alimentar exclusivamente pelo leite materno e introduzi-lo na dieta das crianças de até dois anos. A OMS lançou, em abril deste ano, uma lista com dez recomendações para que o profissional da saúde estimule o aleitamento materno, entre as orientações está o contato da mãe com o bebê o mais rápido possível após o nascimento.

Postado originalmente por: Gazeta de São João del Rei

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: