Homem mata duas pessoas em São João

Dois assassinatos e uma tentativa de homicídio com arma de fogo. Esse foi o registro da Polícia Militar na última terça-feira, 16, por volta das 15h, na Vila Santa Terezinha, em São João del-Rei. As vítimas R.F.M., 33 anos, e P.P.P., 35 anos, não resistiram aos ferimentos provocados pelos disparos e morreram. O suspeito dos crimes também atingiu F.M.G., 23 anos. O tiro, porém, foi de raspão, e provocou apenas ferimentos leves.

Rua Santa Madalena é local onde aconteceu um dos homicídios - Foto: Gazeta

Rua Santa Madalena é local onde aconteceu um dos homicídios – Foto: Gazeta

O delegado da Polícia Civil na área de Homicídios afirmou que o caso ainda está sendo investigado e, em um primeiro momento, o que se apurou foi que o autor dos crimes estava sob indulto do Dia das Mães. Além disso, uma rixa entre ele e as vítimas teria surgido devido a uma briga ocorrida no presídio anteriormente.

Testemunhas que estavam nos locais onde as vítimas foram cercadas informaram à Polícia Militar, segundo a assessoria da corporação, que viram o autor chegar até elas e atirar com um revólver calibre .38 antes de fugir rapidamente do local.

A PM já identificou o suposto autor dos homicídios, mas até o fechamento desta edição na quarta-feira, 17, ele não havia sido localizado.

Vizinhança
A reportagem da Gazeta esteve no local de um dos crimes e conversou com moradores do entorno. “Foi tudo muito rápido. Ouvi vários estampidos e, logo depois, pessoas gritando. Quando cheguei à esquina, vi um rapaz caído e algumas pessoas em choque. Deu medo. A gente ouve sempre sobre homicídios como esse em São João, mas nunca está pronto pra saber que um deles aconteceu perto de casa”, contou um residente da Vila Santa Terezinha, que pediu para não ser identificado.

Outra moradora comentou sobre as vítimas. “Conhecia os dois rapazes aqui das redondezas. Um deles, inclusive, havia encontrado mais cedo ao sair de uma padaria. Não sei sobre a vida particular nem o que envolve essa história toda. Só acho que ninguém merece morrer dessa forma, que nenhuma família merece perder alguém com tanto sofrimento e que as vítimas acabam sendo quem presenciou o crime e não vai tirar essas imagens da cabeça”.

Um terceiro entrevistado completou: “No primeiro momento, pensei que o barulho era de um pneu estourando ou algo assim. Só depois, quando os estampidos ficaram rápidos, é que entendi que vinham de tiros. Saí correndo porque pensei no meu filho chegando da escola e vendo algo, ou até sendo atingido. Não dá pra entrar em casa e fingir que está tudo bem. Não dá”, finalizou.

Postado originalmente por: Gazeta de São João del Rei

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: