Projeto social muda a realidade de 60 pessoas

Tatames e kimonos estão mudando a realidade de 60 pessoas do Bairro São Dimas, em São João del-Rei. Mais do que isso: a junção desses fatores através do Projeto Social Judô, com 60 assistidos entre crianças e adultos, está formando campeões gratuitamente.

Atletas que participam da iniciativa no Bairro São Dimas já conquistaram medalhas em competições - Foto: Acervo Pessoal / Divulgação

Atletas que participam da iniciativa no Bairro São Dimas já conquistaram medalhas em competições – Foto: Acervo Pessoal / Divulgação

A iniciativa foi lançada no final de 2015, já comemorou dois lugares em pódiuns nacionais em 2016 e, agora, luta para levar cerca de 20 atletas para a segunda etapa do Campeonato Mineiro de Judô, marcado para o dia 10 de junho, em Barbacena. O evento é promovido pela Liga Mineira da modalidade e contou, na primeira fase, em Ribeirão das Neves, com nove judocas do projeto.

Desses, oito voltaram para casa com medalhas, sendo quatro de ouro, duas de prata e duas de bronze.

A ideia é que mais competidores do grupo participem e garantem resultados positivos em junho. Se conseguirem, serão credenciados para a terceira fase e, quem sabe, para a quarta. Ao fim da maratona de competições, os melhores resultados vão significar classificação para o Campeonato Brasileiro.

E é de olho nisso que o Projeto Social Judô realiza, na próxima sexta-feira, 2, o evento Feijão Amigo.

Caldo
A iniciativa tem como objetivo arrecadar recursos que garantam a participação de atletas do projeto na segunda etapa do Mineiro. Só com inscrições, segundo um dos professores na ação social, Sidney Sousa, o investimento seria de R$800, aproximadamente.

Isso sem falar em transporte e alimentação para os competidores. Os interessados em ajudar podem participar do evento, marcado para as 19h no Salão São Dimas, com ingressos a R$3. Cada um deles garante uma porção de caldo de feijão. Há, ainda, a possibilidade de fornecer outros tipos de ajuda. “Quem quiser pode auxiliar, ainda, com doação de alimentos que ajudem a manter os alunos no dia da competição. Frutas, por exemplo, seriam muito bem-vindas”, acrescenta o faixa-preta.

Objetivo
Sousa aceitou a proposta de integrar o Projeto Social por ter sentido, na pele, os milagres que o Judô pode fazer na vida de alguém. “Comecei a praticar aos 13 anos e nunca mais parei. O homem que sou hoje tem, em muitos fatores, influência do que aprendi nos tatames. E é isso que todos nós queremos ensinar aos alunos”, acrescenta.

Além dele, outros dois lutadores orientam os beneficiados pelo projeto: os professor Valdecy Silveira e Kléber dos Santos. O grupo foi idealizado por Mônica Oliveira e Alexandre Rios e oferece aulas às segundas, quartas e sextas a partir de 18h30.

As lições, porém, não ficam restritas aos tatames. “Na realidade, um dos maiores ensinamentos do Judô é exatamente o respeito ao próximo. Algo que funciona como a base de qualquer indivíduo e se reflete em todas as relações”, explica Mônica. Lembrando que o desempenho em sociedade também conta como ponto para que os alunos mudem de faixa.

Além da avaliação técnica no Judô, os assistidos pelo projeto são avaliados em casa, com notas da família; e têm resultados escolares considerados com a ajuda da pedagoga Patrícia Rios. É ela quem cuida de uma biblioteca associada ao grupo, com mais de 200 livros, e ministra aulas de reforço para os estudantes com dificuldades em alguma disciplina.

Resultados
Dentre os pupilos, o pequeno Pierry Sousa, de 10 anos, se sagrou campeão brasileiro de Judô na Faixa Azul em 2016. No mesmo torneio, a jovem Ana Carolina Ladislau, de 22, garantiu o vice-campeonato com a Faixa Roxa. Outras informações pelos telefones (0**32) 99918-4987 e (0**32) 9 9993-1551.

Postado originalmente por: Gazeta de São João del Rei

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: