TRÊS ESCOLAS DE SJDR NÃO DESFILARÃO EM FESTA MOMESCA

O Carnaval de São João del-Rei tradicionalmente leva milhares de pessoas às ruas para acompanhar uma das tradicionais festas populares da cidade. Porém, para 2020 a população são-joanense foi surpreendida com a decisão das agremiações carnavalescas Bate Paus, São Geraldo e Irmãos Metralhas em não participar dos desfiles deste ano.

Segundo representantes das três escolas a razão da decisão foi a falta de verbas, dívidas adquiridas no decorrer dos últimos anos e o curto espaço de tempo entre o repasse do dinheiro destinado ao Carnaval pela prefeitura e o dia de ir para avenida, o que prejudica muito a organização e a compra dos itens necessárias para desfilar.

O presidente da São Geraldo, Dener Fonseca afirma. “Sentimos-nos inseguros de colocar uma escola na avenida com o valor oferecido e com as dívidas que já temos, pois ficamos com medo de aumentar essas dívidas e seria leviano fazer algo aquém do que podemos”. O presidente da Bate Paus, Alessandro Santos, ainda ratifica.  “Reuniões foram feitas para se chegar a uma solução, mas sem sucesso, e para 2021 um caminho diferente precisa ser tomado porque da maneira feita hoje o Carnaval fica inviável, pois precisa ser bom para todos”.

Assim como a Bate Paus e São Geraldo, a Irmãos Metralhas compactua com todos os problemas apresentados, mas ainda apresenta outra razão para não desfilar. O que explica a tesoureira da escola, Soraia Paranhos.  “Estávamos com a escola andando quando fomos procurados pelas outras cinco escolas para apoiar o movimento de expor suas dívidas. E não vamos desfilar em apoio às outras duas escolas que decidiram assim, pois queremos participar do Carnaval como um todo”, destaca.

Além das escolas, um órgão que tem papel fundamental em todas as decisões relacionadas à festa momesca é a Associação das Escolas de Samba Blocos e Ranchos (Aesbra), cujo seu presidente Alan Rios, apresenta a sua versão dos fatos. “Os problemas alegados não são de hoje, o Carnaval esta virando mercado e uma briga que eu não estou entendendo por causa de que. Não acho que seja por pouco tempo e nem por falta dinheiro, acho que é alguém querendo prejudicar a festa. A associação é feita de todos os membros e preciso representar a maioria, então não poderíamos deixar de fazer o Carnaval só porque três escolas decidiram assim“. afirma.

Porém, algo que é compactuado por todos os envolvidos citados é a necessidade de trabalhar em conjunto e defendendo o interesse de todos, além da urgência de realizar grandes eventos durante o ano, mesmo com todas as dificuldades envolvidas, para assim sanar um pouco as dívidas e destinar as arrecadações para os desfiles.  Dessa forma serão capazes de fazer um carnaval bonito e que todas possam participar em conjunto como sempre foi.

Em relação às queixas sobre as verbas e o pouco tempo para fazer as compras, o secretário de Cultura e Turismo, Marcus Fróis, afirma que se comparado há alguns anos anteriores em que a verba foi disponibilizada muito próxima ao Carnaval, 2020 foi bem melhor. “As votações de liberação de recurso para a festa na Câmara de vereadores foram ainda em 2019, algo inédito na cidade. Com a aprovação será possível um repasse que deve acontecer até o fim dessa semana e permitir um mês de antecedência em relação aos desfiles”, explica o secretário.

O dinheiro acordado inicialmente no primeiro plano de trabalho foi de 43 mil para cada escola, mas agora no segundo plano de trabalho foi proposto 250 mil para seis agremiações carnavalescas. A verba será repassada a AESBRA, que deverá devolver o dinheiro referente às escolas que não entrarem na avenida.

Por fim, o secretário de cultura da cidade, Marcus Fróis afirma. “O prefeito Nivaldo e nós da Secretaria de Cultura e Turismo fizemos o nosso papel para realizar o carnaval, e concluímos a nossa parte, pois não temos autonomia para discutir sobre assuntos internos da associação e das escolas. Estamos fazendo o que é possível para a realização do carnaval, e caso isso não aconteça a prefeitura não tem responsabilidade sobre nada disso”, finaliza.

PROGRAMAÇÃO
O carnaval de São João del Rei será realizado entre os dias 21 e 25 de fevereiro, e além dos desfiles das escolas de samba, blocos e atrações culturais, artistas de destaque devem desembarcar na terra dos sinos para agitar os foliões.  O show de Wesley Mumu é um dos que já se tem certeza da realização, e ainda pendente de confirmação está a banda de renome nacional, Parangolé.

O post TRÊS ESCOLAS DE SJDR NÃO DESFILARÃO EM FESTA MOMESCA apareceu primeiro em Gazeta de São João del-Rei.

Postado originalmente por: Gazeta de São João del Rei

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: