Assassinatos aumentam no primeiro semestre e assustam comunidade em Araguari

Da Redação

Homem de 46 anos foi morto brutalmente nesta quarta-feira à noite, no bairro Goiás

Nos primeiros meses de 2017 o município de Araguari apresentava um preocupante índice de homicídios dolosos consumados. A Gazeta do Triângulo levantou os crimes ocorridos na região do Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e cidades goianas nas proximidades, e apurou que Araguari estava atrás apenas das metrópoles Uberlândia e Uberaba no ranking deste tipo de assassinatos.

João foi morto a golpes de faca e pedaço de uma mesa

João foi morto a golpes de faca e pedaço de uma mesa

 

Para se ter uma ideia, ano passado foram sete mortes dessa natureza de janeiro a junho. Em 2017, o município já registrou 11 casos em cinco meses e uma semana, representando um aumento superior a 40%.

Nesta quarta-feira, por volta de 23h, João da Silva, 46 anos, natural do estado do Ceará, foi brutalmente assassinado na rua Raul Kamimura, antiga 33, bairro Goiás, assustando os moradores da vizinhança, que chegaram a escutar a vítima gritando em busca de socorro e barulho de pauladas.

Duas mulheres residentes nas proximidades deram depoimento à imprensa: “ouvimos uma pessoa desesperada em busca de ajuda. Ficamos assustadas, mas saímos para verificar o que estava acontecendo e encontramos o homem caído com a mão no coração. Uma cena muito triste”.

Os bombeiros foram acionados minutos depois, se deparando com João da Silva com ferimentos no peito e na cabeça, sem os sinais vitais. Mesmo assim, foi imobilizado e levado até a Unidade de Pronto-Atendimento 24 Horas, sendo constatado o óbito.

A princípio, há suspeita de um homem que morava há três meses com ele no local. Após se desentender com o colega, este teria agredido a vítima a facadas e com o pedaço de uma mesa, sem qualquer chance de defesa.

Até a tarde desta quinta-feira, 8, o corpo de João da Silva permanecia no Instituto Médico Legal em Araguari, aguardando a presença de seus familiares. O suspeito, que veio de outro estado, desapareceu e não foi qualificado no boletim de ocorrência. A perícia da Polícia Civil realizou os devidos trabalhos no imóvel, recolhendo as armas brancas, ambas com marcas de sangue.

Homicídios dolosos consumados, também conhecido como assassinatos, são aqueles que há intenção de matar. Existem também os homicídios culposos, quando ocorre uma fatalidade, como na maioria dos casos registrados no trânsito.

Dos 11 assassinatos de 2017, existe a possibilidade de um ter ocorrido em Uberlândia, apesar de o corpo ter sido encontrado na zona rural de Araguari, no mês passado. O caso é investigado pelo delegado Felipe Oliveira Monteiro.

OS CASOS

  • 02/1 – Zama José da Costa Júnior, 35 anos, residencial Bella Suíça (arma branca)
  • 15/1 – Régis Antônio Caetano, 52 anos, bairro Jóquei Clube (arma de fogo)
  • 17/1 – Richardson Bernardes Nunes, 21 anos, bairro Brasília (arma de fogo)
  • 30/1 – Leandro Ponciano, 35 anos, BR-050 (arma de fogo)
  • 25/2 – Fabiano César Malaquias, 37 anos, bairro São Sebastião (arma branca)
  • 30/3 – Talita Godoi Pereira, 28 anos, bairro Santa Terezinha (atropelamento)
  • 01/4 – Wildisley Alves Gonçalves, 31 anos, bairro Brasília (arma de fogo)
  • 09/5 – Luiz Antônio da Silva, 49 anos, bairro Santa Helena (arma branca)
  • 22/5 – Augusto Vieira de Morais, 22 anos, zona rural (arma de fogo)
  • 28/5 – Cícero Pereira dos Santos, 39 anos, bairro São Sebastião (arma de fogo)
  • 07/6 – João da Silva, 46 anos, bairro Goiás (arma branca)

Postado originalmente por: Gazeta do Triângulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: