Polícia Civil esclarece assassinato e prende autor na zona rural

Da Redação

Dolearina, distrito de Estrela do Sul também conhecido como Gameleira, distante 45 quilômetros de Araguari, viveu um fim de semana atípico com o registro de um assassinato. A equipe da 16ª Delegacia de Polícia Civil, chefiada pelo Delegado Eduardo Placheski Trepiche, e contando também com o investigador Neiton Lomeu Padro Brites e o escrivão Ivo Hipólito Vieira agiu rapidamente e elucidou os fatos.

Autor foi preso em flagrante pelo crime de homicídio qualificado

Autor foi preso em flagrante pelo crime de homicídio qualificado

O crime ocorreu sábado, 8, num estabelecimento comercial, vitimando Luiz Carlos dos Santos, 48 anos, após discussão com o investigado João Batista da Silva, popular “João do Osvardo”. A motivação seria uma advertência da vítima para seu ex-cunhado a respeito do comportamento de sua sobrinha, filha do autor.

O delegado Eduardo Placheski esclareceu que João Batista, 52 anos, saiu do bar e foi até sua casa, naquele distrito, armando-se com uma faca “peixeira”. Ele colocou a arma branca na cintura, retornando de bicicleta ao referido comércio.

Ainda conforme relatado pelo policial, assim que avistou Luiz Carlos, em via pública, o autor sacou a faca, sem nada dizer, e desferiu um golpe contra o abdome do homem. Em seguida, acertou o pescoço, dilacerando várias veias.

Luiz Carlos deixou o local ensanguentado, clamando por socorro, enquanto seu agressor se dirigiu até outro bar. Comprou algumas latas de cerveja e evadiu a cavalo com destino à zona rural de Estrela.

A vítima chegou a ser socorrida e encaminhada ao pronto-socorro da cidade de Monte Carmelo, porém não resistiu aos ferimentos, sofrendo choque hipovolêmico (perda de grandes quantidades de sangue e líquidos).

A equipe do delegado Eduardo Placheski realizou buscou em propriedades rurais, localizando o autor escondido em local de difícil acesso, entre os municípios de Cascalho Rico e Estrela do Sul. Ele foi atuado em flagrante delito por homicídio qualificado pelo motivo fútil e meio que dificultou a defesa da vítima. Dois investigados que cooperaram na fuga também foram autuados pela 16ª DPC.

João Batista teria relatado que, dois dias antes, foi agredido por Luiz Carlos, mas não denunciou o caso à Polícia.

PREMEDITAÇÃO

Na tarde da última sexta-feira, 7, a filha de João Batista, 20 anos, procurou a PM para relatar que seu pai, naquela data, vendia alguns animais sem a autorização dela, por se tratar de herdeira. Falou também que seu genitor pretendia arrumar dinheiro para contratar um advogado, tendo em vista que ele tinha a intenção de matar o namorado da denunciante, no caso, sua filha.

 

Postado originalmente por: Gazeta do Triângulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: