Secretaria organiza Conferência Municipal de Assistência Social

Da Redação

Encontros periódicos para discussão de propostas serão promovidos no município e distritos

Acontece em julho, a Conferência Municipal de Assistência Social em Araguari. O evento será promovido no dia 5, no IMEPAC (Instituto Master de Ensino Presidente Antônio Carlos). Para isso, a equipe da secretaria de Trabalho e Ação Social está organizando uma extensa programação.

De acordo com a secretária Eunice Mendes, além das atividades promovidas durante a Conferência, serão realizados vários encontros periódicos organizados em diferentes pontos do município, a fim de debater a realidade e discutir propostas a serem apresentadas na Conferência Municipal. No dia 12 de junho, por exemplo, haverá uma mesa redonda na Policlínica ‘Dr. Oabi Gebrim’, situada à avenida Batalhão Mauá, a partir das 14h.

No dia 19, acontece uma pré-conferência, no intuito de colocar em discussão os temas centrais do evento, em conjunto com uma ação em no distrito de Amanhece, voltada à erradicação do trabalho infantil. No dia 20, o trabalho será realizado em Piracaíba.

“Estes encontros servirão para avaliar a realidade atual e as necessidades do município, para que possamos buscar melhorias para o atendimento no cenário local. O mais importante é que essas propostas indicarão as diretrizes para serem apresentadas na Conferência, assim, a participação da comunidade e das entidades é fundamental”, disse.

Além disso, a secretaria também dá maior atenção às pessoas em estado de rua, ou popularmente conhecidas como moradores de ruas. Diante disso, a equipe está ampliando o trabalho de apoio em todo município. “Fizemos uma parceria com a Associação Casa de Davi, abrigo temporário para pessoas em situação de risco, que oferece oito vagas para a secretaria de Trabalho e Ação Social. Assim, as pessoas são acolhidas e encaminhadas para o local, onde podem permanecer por seis meses e recebem todo apoio que precisam. Em sua maioria, são pessoas que possuem algum tipo de vício e não tem nenhum vínculo familiar,” ressaltou Eunice Mendes.

Os assistidos também podem fazer cursos profissionalizantes na UAITEC (Universidade Aberta Integrada) ou no CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) que realiza ações voltadas à inclusão da pessoa junto à sociedade. Entretanto, segundo a secretária, a principal dificuldade enfrentada é a falta de interesse destes cidadãos.

“Eles afirmam que não querem voltar para suas famílias e dizem preferir ficar nas ruas, o que vem causando outro problema grave que é a mendicância. Esta é uma situação difícil, por isso temos o apoio de assistentes sociais responsáveis e a Polícia Militar que está nos auxiliando quando da necessidade de realizar abordagens destas pessoas,” ponderou.

Nestes casos, a orientação é de que os cidadãos entrem em contato com a secretaria de Trabalho e Ação Social, através do telefone 3690-3063. “Estamos identificando estas pessoas para que possamos ajuda-las, principalmente com o apoio de comerciantes e moradores que podem informar o local onde estão,” finalizou.

Postado originalmente por: Gazeta do Triângulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: