Dia do jornalista: profissionais se adaptam para orientar população durante pandemia

Neste dia do jornalista, profissionais relatam experiências e dificuldades enfrentadas

O papel do jornalismo sempre foi fundamental para trazer clareza à sociedade. Toda notícia é uma história real, que pode ser triste ou feliz, mas que também pode salvar vidas. Durante a pandemia, muitos serviços foram interrompidos, mas o jornalismo permaneceu e foi essencial para orientar a população sobre a doença.

“Já passei por muitas fases, mas desde o ano passado, com o início da pandemia, estamos vivendo momentos muito difíceis. Nosso trabalho diário tem sido de muita superação. No ano passado tivemos, inclusive, que reduzir a equipe. Agora em 2021 voltamos com a equipe completa em fevereiro, porém no mês de março veio a Onda Roxa do Governo do Estado de Minas Gerais e a situação voltou a ficar complicada. A nossa equipe corre riscos diários tendo que fazer reportagens em diversos locais, como na Santa Casa e Hospital de Campanha”, explicou o jornalista José Ramos, apresentador do Telefatos em Poços de Caldas, no Sul de Minas.

Para o jornalista Alan Martuchelle, que trabalha na rádio 98 FM de Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri, muitas adversidades foram enfrentadas neste período. “O maior desafio na pandemia foi adaptar ao novo formato que o jornalismo precisou. A gente que trabalha com rádio tem a facilidade em conseguir sonoras com as fontes via WhatsApp, isso até acontecia um pouco antes. Só que, com a pandemia, isso ganhou uma ênfase maior devido ao distanciamento que nós precisamos ter. Por um momento, a gente ficou em home office, uma parte da equipe ainda trabalha desta forma, então é necessário a utilização de aplicativos de mensagens pra conseguir fontes, apurar informações”, destacou.

Ambos os veículos tomam todos os cuidados necessários diariamente, como higienização de materiais para assegurar a saúde dos jornalistas. “Tomamos o máximo de cuidados possíveis e estamos levando nosso trabalho da melhor maneira. A nossa esperança está na vacinação”, explica José Ramos.

“No trabalho presencial o distanciamento continua, o uso de máscaras sempre e também a higienização dos equipamentos, das câmeras e tudo aquilo que a gente utiliza”, enfatiza Martuchelle.

José Ramos ressalta que os profissionais deveriam fazer parte do grupo prioritário de vacinação.
Já Alan revela que neste período os ataques contra a imprensa aumentaram.

Assista a reportagem!

Clique aqui para baixar o vídeo.

Anexos para downloads:

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: