Juiz de Fora: conheça as propostas dos candidatos Wilson Rezato (PSB) e Margarida Salomão (PT)

Os candidatos encerram a série de entrevistas em Juiz de Fora; acompanhe 

Nesta terça-feira (20), os candidatos Wilson Rezato (PSB) e Margarida Salomão (PT) foram os entrevistados pelo Portal Amirt. Ambos falaram sobre a situação econômica da cidade, desemprego, segurança, dentre outros assuntos.

Segundo o candidato Wilson Rezato, o que motivou sua entrada para política foi a possibilidade de “ajudar o próximo”. Rezato explica ainda que o principal objetivo como candidato é obter informações exatas sobre a situação do município.

“A nossa proposta é caminhar para ter informações precisas sobre a administração pública de Juiz de Fora, porque hoje a gente não consegue essas informações. Para nós a transparência é fundamental, então vamos trabalhar isso dia e noite até a gente ter as informações precisas”, disse Rezato, que criticou a administração do município nos últimos 8 anos.

Já Margarida Salomão ressalta que o intuito de sua gestão é “promover o desenvolvimento com inclusão social”.  A candidata enfatiza que essa seria a principal proposta do governo.

“Outra grande proposta é a participação da sociedade através de uma gestão de territórios. As pessoas então participam nos lugares onde elas moram e elas seriam então ativas na discussão e deliberação sobre segurança, educação, transporte público”, disse a candidata do PT.

Devido à pandemia, Juiz de Fora perdeu 6.475 postos de trabalho, se levado em consideração o acumulado do ano. A informação é do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia.

Para Rezato, a condução dos processos no início da pandemia prejudicou a economia do município. “A pandemia é um assunto complexo, não só da cidade, mas mundial. A condução dos processos no início foi muito errada, porque parou a economia antes da hora. Vários comerciantes e vários pequenos empresários quebraram e isso prejudicou demais a economia como um todo. Nós temos que primeiro sermos rápidos nas respostas as solicitações do poder público, hoje é um marasmo ‘danado’, você pede informações, coisas que é para fazer em um dia ou dois no máximo, demora um mês, dois meses. Isso é um problema crônico e isso é um assunto que a prefeitura pode fazer e não depende de dinheiro, depende de atitude”.

Margarida Salomão explica que a situação não vai se resolver apenas no âmbito do município e que existe uma grande crise nacional que antecede a pandemia. “É claro que a pandemia agrava essa situação. Em Juiz de Fora, fortemente, nós tivemos muitas perdas de empregos, porque a cidade hoje é um grande polo na área de serviços, então, obviamente, uma área que foi muito sacrificada com as mudanças que ocorreram na vida social durante o processo da pandemia. A gente imagina que nós vamos ter, evidentemente, que usar instrumentos de governo para fomento, as ferramentas das compras públicas para induzir o desenvolvimento de algumas áreas e, fundamentalmente, estabelecer parcerias”.

Vale lembrar que todos os candidatos à prefeitura de Juiz de Fora receberam o contato do Portal Amirt, seja por e-mail, WhatsApp ou ligação telefônica, porém nossa equipe não obteve retorno.

 

 

Clique aqui para baixar o vídeo. 

 

Anexos para downloads:

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: