Acusado de matar jovem em carona do WhatsApp é agredido em presídio

Jonathan Prado confessou o latrocínio, mas negou o estupro

Reportagem de Lisley Alvarenga em O TEMPO

Detido no Presídio de Frutal, no Triângulo Mineiro, desde que confessou em depoimento à Polícia Civil que roubou e assassinou a bióloga Kelly Cristina Camaduro, de 22 anos, após ver a oferta de carona feita pela jovem no grupo de WhatsApp, Jonathan Pereira do Prado, de 33 anos, foi agredido por outros detentos da unidade prisional, na noite da última sexta-feira (3).

O suspeito foi socorrido por agentes de segurança penitenciários do presídio, por volta das 18h40. O preso teve um corte no supercílio e foi atendido pela enfermeira da unidade. Depois das agressões, ele foi separado dos demais presos.

Em nota, a direção-geral da unidade prisional declarou que instaurou um procedimento administrativo para apurar as circunstâncias e responsabilidades pelo ocorrido. “Após a identificação dos agressores, eles passarão pela Comissão Disciplinar e sofrerão sanções administrativas”, informou.

Postado originalmente por: Portal MPA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: